O Covid-19 (coronavírus) pode afetar seus planos de viagem. Seja qual for seu destino, veja aqui as últimas recomendações.

Noticias Certificado de vacinação de Covid para viajar: perguntas e respostas

Todos os artigos

Certificado de vacinação de Covid para viajar: perguntas e respostas

São tempos difíceis para os viajantes. Porém, estamos aqui para ajudar você a sonhar e a planejar sua próxima aventura - seja um passeio perto de você ou um voo a lugares desconhecidos. Até lá, seguiremos compartilhando as últimas atualizações sobre COVID-19 e viagens para manter você informado e pronto para viajar.

Uma nova expressão deve começar a fazer parte do vocabulário dos viajantes: certificado de vacinação de Covid-19 para viagens ou passe de saúde. Esse recurso digital, que armazena dados sobre testes e sobre vacina, está em fase de implementação por diferentes organizações e empresas. Tudo indica que veio pra ficar – pelo menos durante a pandemia de coronavírus.

A ideia é que ao portar um documento digital não seja mais necessário apresentar um teste com resultado negativo ou fazer quarentena. Parece simples, mas o assunto gera muitas dúvidas. Os próprios termos já causam confusão – certificado de vacinação, passaporte de saúde, passe de saúde –, por isso o mais indicado nesse momento é estar bem informado.

Confira aqui perguntas e respostas sobre o certificado de vacinação contra o coronavírus (Covid-19).

Esta página foi atualizada pela última vez em 29 de abril de 2021. As informações apresentadas nesta página estavam corretas até o momento da publicação. Para obter mais informações atualizadas, visite o site do Ministério das Relações Exteriores e o site da Anvisa.

Perguntas mais frequentes sobre certificado de vacinação para viagens

O que seria um certificado de vacinação de Covid para viajar?

Esse documento tem sido discutido, porém ainda não é uma realidade. Em tese, seria um documento oficial, emitido por uma autoridade legal, que comprovaria a sua vacinação contra a Covid-19.

Em tempos de pandemia, esse documento pode se tornar futuramente pré-requisito para atravessar fronteiras e para embarcar em voos internacionais. No momento, ainda não sabemos se o Brasil lançará ou não certificados internacionais de vacinação contra a Covid-19.

Como diferenciar certificado de vacinação de COVID para viajar, “passaporte de saúde” e passe de saúde?

O certificado de vacinação COVID para viajar e o “passaporte de saúde” são documentos ainda apenas sob discussão. Já o passe de saúde, uma iniciativa privada, está em fase de testes.

O certificado de vacinação de COVID para viajar, se vier a se confirmar, seria a prova de que você foi imunizado especificamente contra a COVID-19. O termo “passaporte da imunização” também tem sido usado para se referir a esse certificado internacional de vacinação.

Já um “passaporte de saúde”, segundo o WTTC, seria um documento de padronização internacional, como é o passaporte de fato, e agregaria muito mais informações sobre a saúde do viajante, incluindo informações sobre deficiências, alergias e diversas vacinas. O que nós brasileiros poderíamos usar como comparação seria o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP), por exemplo, emitido pela Anvisa e aprovado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Esse certificado vem sendo utilizado há mais de 50 anos em formato de papel para comprovar a imunidade a diferentes doenças. Quando o assunto é vacina para viajar, até o momento, a mais exigida é a de febre amarela, obrigatória para a entrada em 125 países.

Já os passes de saúde são iniciativas desenvolvidas por companhias aéreas, entidades não-governamentais e empresas de tecnologia com o intuito de agrupar e padronizar informações de saúde de cada passageiro relacionadas ao Covid-19 e assim facilitar a retomada das viagens internacionais pós-pandemia. Leia mais sobre o passe aqui.

Além do teste de coronavírus, um certificado de vacinação pode ser necessário para voltar a viajar

Existe hoje algum recurso semelhante ao certificado de vacinação de Covid para viajar?

Como comentamos acima, ainda não há um certificado de vacinação internacional para viajar. Porém, para facilitar viagens e eventos em território nacional, o Ministério do Turismo e o Ministério da Saúde firmaram uma parceria para incentivar o uso da plataforma Conecte SUS como certificado digital de vacinação. A intenção é que prefeitos e governadores utilizem esse recurso para organizar a retomada segura das atividades turísticas no país.

Além de informações sobre o histórico de saúde, dados de atendimentos realizados, medicamentos distribuídos no SUS e a localização de serviços de saúde, o Conecte SUS disponibiliza as informações específicas sobre quem já tiver sido vacinado: qual vacina foi aplicada, lote de fabricação e data em que a dose foi tomada. Por meio de um QR Code é possível emitir uma certificação digital válida em território nacional. O Conecte SUS está disponível na Play Store (Android), Apple Store (iOS) e em versão Desktop (site) – veja o passo a passo para usar a plataforma clicando aqui.

E quando os certificados de vacinação de Covid para viajar estarão disponíveis?

O Conecte SUS é a medida mais próxima a essa ideia de certificado aqui no Brasil, mas não pode ser considerada uma solução final, ainda mais a nível internacional. Muitas propostas são da iniciativa privada e ainda existe muita especulação sobre o assunto. A própria Organização Mundial da Saúde (OMS) se mostra resistente à ideia. Portanto, ainda é cedo para se falar em uma data exata para início do uso de certificados de vacinação a nível mundial.

Quais seriam os benefícios dos certificados de vacinação?

A adoção de medidas como o certificado de vacinação pode acelerar o retorno à vida normal e incentivar o aumento das atividades econômicas. Setores que dificilmente conseguem operar com medidas rígidas de distanciamento social, como o de turismo, seriam beneficiados.

Como eu provo meu status de vacinação enquanto isso?

Quem já tiver sido vacinado pode acessar as informações a partir do aplicativo ou do site do Conecte SUS, que mostra as informações mais relevantes e emite certificação digital. A carteirinha de vacinação do SUS tem a mesma função.

Onde mais eu poderia usar o certificado de vacinação?

Espera-se que o certificado de vacinação vá além dos voos internacionais e da autorização de acesso a outros países. Esse poderia ser o documento (digital ou impresso) utilizado para permitir a participação em eventos com grande público, como shows e partidas de futebol, ou mesmo para permissão da entrada em bares e restaurantes.

Turista em Istambul durante pandemia do coronavírus

E o que são os passes de saúde?

Passes de saúde são iniciativas desenvolvidas por companhias aéreas, entidades não-governamentais e empresas de tecnologia com o intuito de agrupar e padronizar informações de saúde de cada passageiro relacionadas ao Covid-19 e assim facilitar a retomada das viagens internacionais pós-pandemia.

Segundo o World Travel and Tourism Council (WTTC), a função principal dos passes de saúde é mostrar os resultados de testes PCR para coronavírus (Covid-19), e em determinados casos, podem também armazenar certificados de vacinação de Covid-19. A princípio, os dados a serem incluídos nos apps são limitados, e as informações ali disponíveis podem “expirar” se estiverem desatualizadas.

Organizações como o WTTC acreditam que passes de saúde de uso único são o caminho a seguir. “Levará um tempo significativo para vacinar a população global, especialmente em países menos avançados, ou em diferentes faixas etárias, portanto, não devemos discriminar aqueles que desejam viajar, mas não foram vacinados”, diz um comunicado do WTTC, que recomenda passes de saúde, combinado com testes e medidas de higiene. “O teste para viajantes não vacinados, junto com o uso obrigatório de máscara e protocolos aprimorados de saúde e higiene, permitiria a retomada segura em viagens internacionais e evitaria o risco de transmissão.”

Quem ou quais empresas estão oferecendo passes de saúde?

Existem diversas iniciativas em desenvolvimento ou em fase de testes. Algumas têm atuação apenas local, enquanto outras talvez sejam adotadas mundo afora no futuro. Confira os principais passes de saúde:

IATA Travel Pass

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA, em inglês) representa 295 companhias e é responsável por 82% do tráfego aéreo no mundo. Até o momento, 24 dessas empresas de aviação adotaram o app IATA Travel Pass em sua fase de teste, incluindo Copa Airlines, Emirates e Qatar Airways.

Em março, o aplicativo foi testado pela primeira vez em um voo internacional, entre Singapura e Londres, pela Singapore Airlines. Os passageiros puderam criar uma versão digital de seus passaportes; incluir as informações do voo para saber sobre as restrições e os requisitos de entrada no destino; receber o resultado dos testes verificados e a confirmação de que eles obedeciam aos requisitos da viagem.

CommonPass

O app, desenvolvido em parceria entre o Common Project Foundation e o World Economic Forum, pretende reunir todas as informações necessárias relacionadas à saúde: declarações de saúde, resultados de testes PCR e certificados de vacinação, além da indicação se a vacina tomada pelo passageiro é aceita no país onde ele pretende entrar.

No final de 2020, testes foram feitos na Ásia, no trajeto entre Hong Kong e Singapura, e em uma travessia do Atlântico, entre Londres e Nova York. Essa é a aposta de grandes companhias aéreas, como Lufthansa, Swiss, United Airlines, Virgin Atlantic e JetBlue.

AOKpass

O diferencial do AOKpass em relação aos demais aplicativos de certificado de vacinação de Covid é o fato de ser descentralizado. Isso significa que os registros médicos do usuário ficam salvos apenas no celular e que o aplicativo em si não retém nenhum dado.

Em termos de funcionalidade, é simples. O passageiro faz o upload do comprovante de teste ou de vacinação, o documento é verificado por uma equipe médica e um QR code é gerado. Esse é o aplicativo escolhido pela Air France para a fase de testes.

VeriFLY

A aposta da American Airlines e da British Airways é o aplicativo VeriFLY, que, desde o final de janeiro, está em fase de testes para todos os usuários em voos dos Estados Unidos para o Reino Unido, Canadá, Colômbia, Chile, dentre outros países.

A proposta é centralizar todas as informações necessárias ao passageiro. O aplicativo oferece questionários de saúde auto certificados e resultados de teste em mais de 20.000 laboratórios conveniados. Num futuro breve, deverá prover também certificado para quem já foi vacinado.  

WeChat

A China comunicou há alguns dias que o WeChat, aplicativo de mensagens semelhante ao WhatsApp, será utilizado também como passe de saúde. Em um primeiro momento, será posto em uso durante voos entre a China e Hong Kong e entre a China e Macau. Assim como os outros aplicativos, deverá mostrar o status de vacinação e os resultados de testes. Será possível ter a cópia impressa desses mesmos certificados.

Certificado Verde Digital

A União Europeia também propôs um passe de saúde chamado Certificado Verde Digital ou Passe Verde. O passe será disponibilizado para todos os cidadãos da UE e deverá oferecer três tipos de certificados: para quem já foi vacinado contra a Covid-19, para quem recebeu um resultado negativo (teste PCR ou teste rápido de antígeno) ou para quem se recuperou da doença. A proposta é que o certificado seja tanto digital quanto em papel e que inclua QR Code para garantir segurança e autenticidade. Os certificados emitidos não terão custo. A Comissão Europeia pretende pôr em prática o Certificado Verde Digital até junho, início do verão europeu.

Passes de saúde têm sido desenvolvidos especialmente em formato de aplicativos

Quais países estão exigindo um comprovante de vacinação contra a Covid?

Mesmo com os apps ainda em teste e com a certificação de vacinação ainda em discussão, vários países declararam que aceitarão turistas sem a necessidade de quarentena desde que comprovem que receberam a vacina contra a COVID-19.

Dos países que já colocaram em prática a exigência da vacinação para permitir viagens sem testes ou quarentena, destacam-se Islândia, Estônia, Grécia, Geórgia, Islândia, Romênia, Polônia e Ilhas Seychelles – cada qual com suas regras específicas. O Chipre deve exigir o comprovante da vacinação a partir de maio. Outros países como Portugal, Panamá e Tailândia ainda estão estudando a possibilidade. Mas para a maior parte dos países, tais viagens sem restrições são apenas uma ideia até que acordos internacionais possam ser feitos sobre o que constituirá tal prova de vacinação.

Mapa da Islândia

O certificado de vacinação fará com que possamos voltar a viajar mais rápido?

A pandemia é um acontecimento tão complexo que é difícil termos qualquer certeza. Como as conexões de um lugar a outro hoje são muito rápidas, a disseminação do vírus precisa estar controlada no mundo todo, de maneira minimamente uniforme, para estarmos realmente seguros.

É difícil saber quando poderemos voltar a viajar novamente. Porém, caso sejam adotados pelas empresas e oficializados pelos governos, os certificados de vacinação podem ser de grande ajuda. Contudo, a vacinação em massa continua a ser a medida mais urgente para que todo o restante seja possível.

Quais são os desafios atuais do certificado de vacinação de Covid-19?

A vacinação ainda é muito recente e por isso muitas perguntas ainda estão sem respostas. Pesquisas científicas vêm sendo desenvolvidas, mas ainda não se sabe se todas as vacinas oferecem o mesmo nível de proteção e se pessoas imunizadas oferecem menor risco ou se disseminam o vírus da mesma maneira.

Tanto é que, nesse momento, a Organização Mundial de Saúde (OMS) não recomenda que a comprovação da dose da vacina seja usada como parâmetro para a entrada de viajantes em outros países.

Os certificados de vacina COVID são em sua maioria hipotéticos no momento. Levará algum tempo para os países decidirem como, quando e se vão emitir certificados de vacinas COVID – e certificados de quais outros países serão reconhecidos.

Há também o problema da fragmentação, especialmente no que diz respeito aos passes de saúde: companhias aéreas, países e empresas terão de concordar com padrões e práticas comuns. Do contrário, podemos acabar em uma situação em que alguns passes de saúde sejam aceitáveis ​​em algumas companhias aéreas, mas não em outras.

Finalmente, há uma série de questões éticas ligadas aos certificados de vacinas e passes de saúde. Alguns levantam questões de privacidade sobre o compartilhamento de dados de saúde por meio de aplicativos, e outros chamam atenção para o fato de que a ideia de permitir viagens apenas para pessoas que foram vacinadas seja discriminatória.

É um problema complexo e desafiador, e a situação está mudando o tempo todo, mas esperamos que este artigo tenha ajudado a esclarecer algumas de suas questões.

Jovem asiática de máscara fotografando um ponto turístico.

Descubra para onde você pode ir

Fazendo planos para quando puder sair de casa? Confira o nosso mapa global interativo e descubra quais fronteiras estão abertas. Aproveite e inscreva-se para receber atualizações por e-mail assim que seus destinos de interesse reabrirem.

Quer ler mais?