O Covid-19 (coronavírus) pode afetar seus planos de viagem. Seja qual for seu destino, veja aqui as últimas recomendações.

Noticias Guia para comprar seguro viagem durante o coronavírus

Todos os artigos

Guia para comprar seguro viagem durante o coronavírus

Nós sabemos que o mundo das viagens mudou e nossas expectativas sobre o seguro viagem que usamos para cobrir nossas aventuras também. No Skyscanner, nos empenhamos para fornecer as informações que os viajantes precisam para fazer a melhor escolha.

E quando se trata de seguro viagem, nem sempre é fácil analisar os contratos e entender as definições utilizadas. Para isso, você pode consultar nosso glossário de seguro viagem e evitar confusões. Nada de cair em ciladas durante esse momento delicado de pandemia do coronavírus!

Nos reunimos com Martin Nolan, Diretor Sênior de Assuntos Jurídicos, Públicos e Regulatórios do Skyscanner para descobrir suas recomendações em relação ao coronavírus e seguro viagem. Assim você pode planejar sua próxima viagem com confiança – e segurança.

Informações essenciais sobre seguro viagem

Entender o básico do seguro viagem não precisa ser confuso ou difícil. Orientaremos você em suas perguntas mais complicadas, desde o significado dos termos das seguradoras até o modo de usar o seguro viagem, a depender de suas circunstâncias.

Pense no seguro viagem como uma espécie de rede de proteção para férias – não é exigência legal, mas protegerá você se algo der errado. A ideia é poder ajudá-lo nas situações que fogem do controle e, assim, oferecer aos viajantes uma tranquilidade extra.

Um bom contrato de seguro viagem cobrirá os custos de muitos eventos repentinos ou imprevisíveis. Isso pode variar de pequenos inconvenientes, como bagagem extraviada, até despesas mais caras, como emergências médicas, acidentes envolvendo objetos de valor, atrasos ou cancelamentos de voos. Resumindo: o que está fora de seu controle.

Existem muitos tipos de contratos de seguro viagem no mercado. Para descobrir qual deles é mais adequado, é preciso saber que tipo de viagem você está planejando e quem você pretende proteger com a apólice.

Você pode optar por uma apólice de seguro viagem única, que faz exatamente isso: cobre você em uma única viagem. Também existem planos anuais de várias viagens para aqueles que desejam viajar duas ou mais vezes por ano. Esses planos geralmente oferecem um valor mais atrativo do que a contratação de vários seguro viagem únicos. A outra vantagem prática dessa escolha é ter uma coisa a menos para se preocupar ao planejar viagens ao longo do ano.

As apólices geralmente cobrem locais específicos, como apenas Europa, por exemplo, enquanto outras cobrem praticamente todos os lugares do mundo onde você pode querer ir. É importante ter certeza de que o seguro cobre o local para onde você está indo, principalmente se a viagem incluir vários destinos.

Para tipos específicos de viagem (é com você mesmo, viajante aventureiro!), existem opções para viagens como mochilão/trekking ou para viagens cujo foco sejam os esportes de aventura, como esqui ou snowboard. Para viagens como essas é importante obter uma cobertura específica, pois muitas das atividades podem não fazer parte do seguro. Lembre-se que você pode precisar garantir uma cobertura específica para todo o equipamento!

Se você for sortudo o suficiente para estar na estrada por muito tempo, verifique se a apólice é válida para todo o período; muitos seguros de viagem cobrem apenas 90 ou 180 dias.

Além disso, dependendo de circunstâncias pessoais, existem contratos personalizados que oferecem cobertura mais adequada. Por exemplo, se você tem mais de 65 anos ou viaja em família/em grupo, deve escolher o seguro viagem que melhor corresponda aos seus planos.

Da mesma forma, no quesito coronavírus e seguro viagem, você encontra planos específicos para os tempos de pandemia. Se tiver que viajar agora, confira se o seguro cobre cancelamentos de voos ou despesas médicas ocasionadas pelo Covid-19 – veja as empresas que oferecem seguro viagem na pandemia no tópico “Coronavírus e seguro viagem” mais abaixo.

Muitos lugares! Normalmente você pode comprar seguro viagem em bancos, empresas de cartão de crédito ou corretores de seguros licenciados. Às vezes, sua empresa de cartão de crédito pode até incluir o seguro viagem como um serviço extra do seu cartão.

Agências de turismo e sites especializados que comparam valores dos seguros também oferecem seguro viagem. Muitas vezes, no site da companhia aérea, você verá a opção de adicioná-lo no momento da compra das passagens. Pesquise bem para escolher o seguro que melhor atende a você e a sua viagem, não simplesmente um “seguro viagem barato”. Não se esqueça de ler as letras miúdas!

Você ou alguém do seu grupo podem ter necessidades e requisitos específicos, por isso é importante considerar que tipo de viajante você é e que tipo de viagem está fazendo. Isso facilitará a escolha do melhor seguro viagem.

Os aventureiros podem querer uma cobertura específica, embora precisem estar atentos para as atividades de alto risco que podem não estar inclusas. Por exemplo, algumas companhias de seguros cobrem trekking, mas apenas até 3.000 metros de altitude. Se você planejar subir mais, precisará de uma cobertura diferente, que provavelmente custará mais. Portanto, considere isso como parte do seu orçamento de viagem.

Também existem pacotes personalizados para viagens bem específicas, como destination wedding ou anos sabáticos. Qualquer que seja o tipo de cobertura que você procura, o melhor é pesquisar bastante antes de contratar qualquer serviço.

Esta é provavelmente a parte mais complexa do seguro viagem e a que você precisará prestar mais atenção. Embora todos os planos de seguro viagem sejam diferentes, praticamente todas as apólices cobrem certos riscos básicos (até um nível especificado) e estão sujeitos a determinadas condições. Você deve prestar atenção especialmente em:

cobertura médica de emergência, caso você fique doente durante a viagem;
cobertura de responsabilidade pessoal;
danos aos seus itens pessoais e perda de bagagem;
cancelamento e cobertura de voo perdido;
– e, ao viajar em tempos de Covid-19, é importante conferir se seu seguro viagem cobre pandemia.

Diferentes provedores de seguros cobrem esses riscos em diferentes níveis – às vezes, de maneira bem diferente – podendo variar também o valor da franquia (confira o que é franquia no nosso Glossário de seguro viagem). Portanto, é importante saber qual é o limite de cobertura para cada um desses elementos e quanto você precisa pagar para ter uma indenização ser bem-sucedida.

Por exemplo, se você planeja levar um iPad/tablet para maratonar alguma série, verifique se a sua apólice realmente cobre um único item desse valor. O mesmo vale para câmeras, telefones e óculos de sol. Geralmente, o limite para um único item é muito mais baixo do que imaginamos (especialmente nos contratos mais baratos). Seja realista sobre o valor dos itens que você planeja levar e escolha com base nisso.

Caso você tenha um seguro residencial, verifique também se a sua apólice cobre algo que possa acontecer quando você estiver viajando – geralmente sim, e isso pode significar que você pode aceitar um limite de cobertura mais baixo no seguro da viagem e, assim, economizar dinheiro.

O que NÃO está incluído também é muito importante, e você deve verificar os termos-chave para garantir ter a cobertura necessária. Geralmente, as apólices de seguro não cobrem de forma completamente adequada conexões perdidas, bagagem extraviada, segunda via de documentos (caso perca o passaporte) e repatriação médica (super importante em viagens de aventura, quando é maior a chance de você se machucar).

Também é importante observar as condições associadas à sua apólice que podem invalidar qualquer indenização. Por exemplo, esportes radicais podem não ter cobertura, nem situações relacionadas à abuso de bebida alcoólica. O mesmo vale para o caso de itens valiosos estarem na bagagem despachada.

Outro exemplo? A orientação oficial para algum destino é vacinar-se contra uma doença específica. Se você não tomar a vacina e, eventualmente, contrair a doença, seu seguro viagem poderá não lhe oferecer cobertura.

É extremamente importante analisar a cobertura se você tiver doenças preexistentes, pois elas geralmente afetam sua apólice e podem significar que você não está nada protegido… Isso ocorre porque geralmente há uma probabilidade maior de que você precise de tratamento médico no exterior.

Os provedores de seguros especializados oferecem excelente cobertura para pessoas com condições existentes, desde que sejam comunicadas no momento da contratação. De novo, verifique a franquia e se o local para onde você pretende ir está incluído.

Compreender as definições do seguro viagem pode ser estressante a ponto de dificultar e confundir a escolha de um plano. Um termo que os viajantes devem procurar é “franquia”. A franquia é a quantia que você pagará para uma indenização e, em seguida, seu provedor de seguros pagará o saldo restante até o limite de cobertura.

Por exemplo, imagine que Kim Kardashian tenha reservado uma viagem de spa sozinha para Bali, mas uma de suas malas Louis Vuitton se perdeu no caminho. Em sua hipotética apólice de seguro viagem, o seguro cobre as despesas com perda de bagagem de até £4.000, com uma franquia de £100. A mala Louis Vuitton da Kim vale £3.500. Assim, depois que Kim paga a franquia de £100, seu provedor de seguro viagem cobrirá os £3.400 restantes.

Teoricamente, a franquia de seguro viagem ajudaria a seguradora a oferecer planos mais acessíveis, responsabilizando o segurado a complementar o pagamento, caso precise utilizar o seguro. Nesse sentido, o segurado só paga mais caro se realmente precisar.

Mas atenção ao comparar os preços entre seguradoras: muitas cobram um valor muito baixo pelo seguro, e um valor altíssimo de franquia, enquanto outras cobram um pouco mais pelo seguro, porém não cobram franquia. Vale sempre comparar. Por isso, procure pelas informações sobre franquia nas letras miúdas do contrato.

Se você precisar acionar o seguro viagem, geralmente é um processo bastante direto. Mantenha a calma – essas coisas acontecem e sua seguradora está lá para ajudá-lo. Verifique seu contrato para saber como proceder. Geralmente você precisa fazer o pedido dentro de um mês após o último dia da viagem.

É uma boa ideia manter uma cópia do contrato com você durante a viagem. Portanto, salve uma cópia no celular numa pasta com fácil acesso, especialmente a parte que menciona as informações sobre cobertura médica de emergência.

No caso de problema com as bagagens, você geralmente precisa de uma confirmação da companhia aérea ou de assistência em terra para mostrar que as malas estão perdidas ou foram dadas como extraviadas. Ao conseguir essa confirmação, impressa ou por e-mail, guarde-a com você.

Se algo for perdido ou roubado, faça um boletim de ocorrência e comunique o ocorrido à seguradora o mais rápido possível. Às vezes, a apólice de seguro exigirá que você faça isso dentro de 24 horas após o ocorrido.

Se você precisar comprar novos produtos ou tiver outras despesas extras, incluindo custos médicos, guarde os recibos para o caso de a seguradora solicitar. Isso ajudará a acelerar o processo de indenização.

Se sua viagem foi cancelada, você normalmente precisará obter primeiro um reembolso do seu fornecedor de viagens. É a eles que você deve recorrer primeiro, antes de entrar em contato com a seguradora. É que a maioria das seguradoras pagará apenas pelos custos que não podem ser reembolsados; portanto, solicitarão que você resolva isso primeiro. Veja seus direitos como passageiro e indenizações possíveis em caso de voos cancelados ou atrasados.

Coronavírus e seguro viagem durante voos

Se você anda se perguntando “meu seguro cobrirá este voo?”, não precisa se preocupar mais com essas questões. Investigamos como os voos se encaixam nas políticas de seguro viagem na pandemia e o que você precisa saber sobre o assunto.

Em geral, atrasos, cancelamentos ou interrupções de voos estão cobertos pelo seguro viagem até certo ponto. No entanto, nem todos os provedores de seguros de viagem estão cobrindo voos afetados pelo coronavírus depois que a pandemia se tornou um evento conhecido. Entre em contato com seu provedor de seguros para mais informações.

Se a companhia aérea cancelou seu voo: você tem direito a um reembolso, voucher ou a possibilidade de remarcá-lo para uma data posterior. Ao aceitar uma dessas opções, sua seguradora não pagará além do que você já recebeu da companhia aérea. Se você não conseguir uma dessas opções, sua seguradora deverá cobrí-lo (sujeito aos termos da apólice).

Se você decidiu cancelar o voo antes da companhia aérea cancelá-lo propriamente: se o seu cancelamento estiver dentro dos motivos aceitáveis para uma indenização, seu seguro provavelmente cobrirá. Mas preste bastante atenção antes de cancelar voluntariamente um voo para garantir que isso não afete sua apólice e invalide sua chance de pedir indenização.

Verifique também seu contrato para ver o que está coberto pelo seu seguro, prestando atenção se a pandemia do coronavírus não afetou a apólice atual.

Veja mais informações sobre as políticas de cancelamentos de voos e restrições de viagem em tempos de Covid-19.

Infelizmente, a falha ou insolvência financeira de companhias aéreas e dos fornecedores geralmente não são incluídas em muitas apólices de seguro viagem. No entanto, não existe uma regra única para isso, e você deve consultar seu próprio provedor de seguro viagem para verificar a abordagem deles em relação à falha do fornecedor. Algumas seguradoras incluem SAFI (Seguro de falha de linha aérea agendada), mas não todas.

A reserva com cartão de crédito oferece proteção extra, pois muitas vezes você pode fazer reivindicações através do provedor do cartão. Consulte as políticas da empresa fornecedora para obter detalhes específicos sobre como fazer isso.

Coronavírus e seguro viagem: um guia para escolher seu seguro durante a pandemia

O coronavírus impactou as viagens de várias maneiras. Entenda como ou se sua apólice de seguro viagem mudou como resultado da pandemia global ou o que isso pode significar para uma futura cobertura.

Se você contratou um seguro viagem antes do coronavírus se tornar um evento conhecido, então, de modo geral, sim, você deveria estar coberto. A data divisora de águas pode variar, mas 12 de março é um bom parâmetro, já que nesse dia a OMS declarou o coronavírus como pandemia.

Nesse sentido, se você já tinha uma apólice em vigor, por exemplo, uma apólice anual, mas só reservou sua viagem depois que o coronavírus se tornou um evento conhecido, provavelmente não terá cobertura.

Não é comum, mas algumas seguradoras firmaram o compromisso de cobrir incidentes relacionados ao coronavírus, mesmo após a declaração da OMS. Você deve verificar o site do provedor de seguro viagem, ler os documentos da apólice ou solucionar suas dúvidas pelo atendimento ao cliente.

A maioria das seguradoras está compartilhando atualizações sobre como o coronavírus afetou os planos de viagens futuras. Verifique os sites oficiais para alterações de política ou entre em contato com sua seguradora para saber detalhes.

Alguns contratos existentes também podem ter datas de encerramento mais rigorosas em relação às indenizações, portanto, não demore para correr atrás disso. Se algo mudou desde que você pegou seu contrato, a seguradora deveria ter entrado em contato para lhe informar. Por precaução, verifique também a caixa de spam do seu e-mail.

Primeiramente, é provável que você não consiga nem mesmo entrar em um país com altos índices de contaminação por Covid-19, em função das restrições de viagem impostas.

Em segundo lugar, os provedores de seguros estão se baseando por avisos oficiais, portanto, monitore as recomendações governamentais. No caso do Brasil, as recomendações monitoradas seriam as do Ministério das Relações Exteriores, o Itamaraty.

Se o Itamaraty não alertou contra a viagem para um destino, mas você decidiu cancelar a ida de qualquer maneira, isso seria considerado um cancelamento voluntário. Portanto, sua seguradora provavelmente não o cobriria.

A maioria dos provedores de seguros não estão oferecendo cobertura para Covid-19. Porém, se você pretende viajar durante a pandemia, aconselhamos que pesquise seguradoras que garantam essa cobertura.

Se você não pode viajar devido às restrições de viagem provocadas pelo coronavírus, mas havia comprado um seguro viagem antes que a pandemia se tornasse um evento conhecido, poderá cancelar seu contrato.

Verifique com sua seguradora, pois algumas podem ter instituído datas limite para reembolsos ou podem ter regras específicas, como reembolsos proporcionais.

Lembre-se de que você só pode cancelar sua apólice se ainda não tiver pedido indenização. Se houver indenizações pendentes de viagens canceladas devido ao novo coronavírus, elas serão anuladas se você cancelar a apólice.

Também é possível cancelar uma apólice de seguro em até 14 dias após a contratação. Antes de cancelá-la, verifique se há mesmo necessidade. Uma vez cancelada, não será possível fazer pedir qualquer indenização.

Glossário de seguro viagem

Se as palavras específicas do universo dos seguros de viagem parecem um idioma diferente para você, não se preocupe. Decodificamos a linguagem e explicamos a terminologia para que você saiba o significado dos termos antes de escolher sua apólice.

Os locais geográficos nos quais sua apólice de seguro é válida. Portanto, se o seu seguro indicar que sua área de cobertura é o Reino Unido, isso incluirá Inglaterra, Escócia, País de Gales, Irlanda do Norte, Ilha de Man e Ilhas do Canal. Se diz “em todo o mundo”, o mundo é seu! Atenção às exclusões na sua área de cobertura.

Documento contratual emitido pela seguradora em que constam os direitos e obrigações do segurado e da seguradora.

Todo volume acondicionado em compartimento fechado e que tenha sido despachado. Isso significa que bagagem de mão não é considerada bagagem.

Quando você (por motivos médicos ou pessoais) ou seu fornecedor de viagens (companhia aérea ou operador turístico) cancelam toda ou parte de sua viagem.

Evento mórbido (de causa não acidental) que precise de tratamento médico, que primeiro se manifeste durante o período de vigência da apólice e não se enquadre como evento ou doença preexistente.

Uma condição médica que o segurado possui no momento da contratação, mas que não é informada na proposta de contratação.

Basicamente, é um valor fixo acordado entre você e a seguradora, que corresponde a um preço que você pagará caso algo aconteça. Digamos que o que estiver dentro do valor da franquia é de sua responsabilidade. Vamos tomar as despesas médicas como exemplo: se o seu gasto com despesas médicas for menor do que o valor da franquia, a seguradora não cobre e você deve arcar com os custos; se o seu gasto exceder o valor da franquia, você deve pagar a franquia de qualquer forma, mas terá o excedente ressarcido pela seguradora.

Significa falência ou liquidação do fornecedor.

Um evento, ocorrência ou desastre inesperado que ocorre fora do seu controle.

É quando você solicita à sua seguradora o pagamento de algo coberto pela sua apólice de seguro.

Se você tiver que interromper sua viagem em função de razões específicas, como doença súbita ou inesperada, lesão ou a perda de algum familiar. Esses motivos serão estipulados em sua apólice, portanto, verifique.

Se você ficar doente em sua viagem e sua seguradora precisar levá-lo para casa para tratamento. Existe também uma cláusula de repatriação funerária, para o caso de óbito do segurado.

É tudo aquilo que o seu seguro viagem não cobrirá. Estes devem estar claramente definidos nos seus documentos de apólice.

Ocorrência de algum evento caracterizado como risco coberto durante o período de vigência do seguro.

Descubra para onde você pode ir

Fazendo planos para quando puder sair de casa? Confira o nosso mapa global interativo e descubra quais fronteiras estão abertas. Aproveite e inscreva-se para receber atualizações por email assim que seus destinos de interesse reabrirem.

Quer ler mais?

Texto original: Tanya Parker
Tradução e adaptação: Aline Bernardes
Revisão: Jade Knorre