Noticias 10 experiências incríveis de turismo de aventura no Brasil

Todos os artigos

10 experiências incríveis de turismo de aventura no Brasil

Sabemos que viajar é especialmente difícil agora. Porém, além de compartilhar as últimas atualizações sobre restrições de viagens em tempos de pandemia, queremos continuar inspirando você com novos conteúdos. Assim, quando o mundo abrir as portas novamente, você estará pronto!

Não falta diversidade de cenários e paisagens espetaculares no nosso país, bonito por natureza. E assim que pudermos sair de casa e aproveitar toda essa beleza, nada melhor do que destinos remotos, integrados à natureza e repleto de atividades cheias de adrenalina para uma escapada — afinal, essas são algumas das principais tendências de turismo pós-pandemia. Listamos a seguir 10 experiências singulares em destinos perfeitos para turismo de aventura espalhados por todo o nosso Brasil. 

Atenção: Este artigo visa apenas inspirar você para viagens futuras. Com as mudanças constantes nas restrições de viagem devido ao COVID-19, não deixe de consultar as recomendações dos governos locais antes de programar qualquer viagem.

1. Fazer trekking em alguma das chapadas brasileiras

As chapadas são típicas formações geográficas brasileiras, que se caracterizam essencialmente por imensas áreas planas em altitudes elevadas. Geralmente, estão localizadas em áreas de intersecção de biomas, rodeadas por muitos rios, grutas, cachoeiras e lagos. Ou seja, um prato cheio para o turismo de aventura.

Cachoeira em uma das chapadas brasileiras, os destinos de turismo de aventura mais buscados no Brasil

Fazer um trekking é a melhor forma de explorar essas regiões. Seja a clássica jornada pelo Vale do Pati, na Chapada Diamantina, a 425 km de Salvador, ou o passeio nas rochas que mais parecem crateras lunares no Vale da Lua, na Chapada dos Veadeiros, a 220 km de Brasília, o certo são aventuras de tirar o fôlego (literalmente!).

Pensando ainda na Chapada dos Guimarães e suas cachoeiras, ou nas curiosas formações rochosas do cerrado na Chapada das Mesas, o difícil mesmo é escolher qual visitar. Ainda bem que temos um guia explicando como chegar e o que conhecer em cada uma das chapadas brasileiras

2. Voar de Parapente no Rio de Janeiro

Se essa é a sua primeira vez no Rio de Janeiro, ou a centésima, não há dúvidas de que, de cima, a vista será bem diferente. Uma das atividades radicais mais desejadas por quem deseja ver o Rio em todo o seu esplendor é a prática de voo livre. 

Vista aérea do Rio de Janeiro

Se a ideia é principalmente curtir a paisagem, o melhor é um voo duplo de parapente, sobrevoando a cidade entre 15 a 45 km/h, sentado numa cadeirinha junto ao instrutor. 

Agora, se o que você quer é um pouco mais de emoção, pode substituir o parapente pela asa delta, que costuma atingir velocidades maiores (até 100 km/h, dependendo das condições de vento). 

Independente do tipo de voo, você pode decolar da Pedra Bonita, situada no Parque Nacional da Tijuca, junto ao bairro de São Conrado. Para uma experiência alternativa e vistas ainda mais bonitas, cruze a ponte para Niterói e salte da rampa do Parque da Cidade.

Confira também como aproveitar o Rio de Janeiro em tempos de Covid-19!

3. Percorrer a Rota das Emoções

“Com emoção ou sem emoção?”, certamente você vai ouvir um dia de um motorista de bugue nas areias de uma duna no Brasil, se é que ainda não ouviu. E a verdade é que, nessa rota, que cruza dezenas de praias de três estados — Maranhão, Piauí e Ceará —, o que não falta é emoção.

Passeio de bugue nas dunas do Nordeste brasileiro

É uma paisagem espetacular atrás da outra ao longo de mais de 500 km de estrada, incluindo alguns dos destinos turísticos mais procurados no Nordeste brasileiro: 

O turismo de aventura por aqui se pratica de chinelo e óculos de sol e o maior risco é você não querer voltar para casa. Seja contratando o pacote de uma agência especializada ou alugando um carro próprio, essa é uma das rotas mais bonitas pelo Nordeste

4. Praticar kitesurf em Jericoacoara

E já que estamos falando sobre as águas tranquilas e cristalinas das lagoas paradisíacas de Jericoacoara, porque não aproveitar a ocasião para praticar kitesurf e windsurf?

Pessoa praticando kitesurf em Jericoacoara

Os fortes ventos da região, que facilmente alcançam os 35 nós (aproximadamente 65 km/h), são ideais para a prática desses esportes náuticos. Ao lado da emblemática Duna do Pôr do Sol, está a zona escolhida pelos aventureiros.

A melhor época para essa atividade são os meses de agosto e setembro, mas a temporada de kitesurf começa em julho e só termina em novembro. 

Veja também quanto custa viajar para Jeri!

5. Subir em árvores no meio da Amazônia

Com vasta e exuberante vegetação nativa, diversos destinos de ecoturismo no Brasil oferecem parques em meio a natureza para a prática de arvorismo. Especialmente popular em viagens em família, essa atividade consiste em atravessar percursos suspensos entre plataformas montadas na copa das árvores. 

Pessoa fazendo arvorismo na mata

O Ecoforest Adventure é o maior parque de arvorismo da Amazônia brasileira, oferecendo ainda trilhas na selva, tirolesas, alvos para arco e flecha e slackline entre as árvores.

Se trocarmos o v pelo b, temos o arborismo, que nada mais é do que escalar a própria árvore, com o suporte de equipamento e cordas. Na Amazônia, os elementos escalados são nada mais nada menos que jatobás, angelins e até mesmo sumaúmas, que podem facilmente superar os 40 metros. 

Apenas uma das excêntricas experiências da Floresta Amazônica, que pode ser agendada com agências especializadas em Manaus.

6. Flutuar nas nascentes d’água do Jalapão

Uma das principais atrações do Jalapão, essa belíssima reserva ambiental situada a 170 km de Palmas, Tocantins, são os chamados fervedouros

Fervedouros, as famosas nascentes d'água do Jalapão

Essas nascentes de água emergem a partir de rios subterrâneos e brotam de areias brancas, formando piscinas naturais em meio a pequenos oásis. O mais legal é que os banhistas não conseguem afundar nem se quiserem: a pressão exercida pela água que jorra do lençol freático faz com que as pessoas fiquem flutuando o tempo todo. Definitivamente, flutuar em um fervedouro é uma das sensações mais incríveis da vida.

E se você quiser se aventurar por conta própria por estradas cênicas, pode alugar um carro 4×4 e explorar as belezas do Jalapão sem pacote de agências de turismo de aventura. Atenção: durante a pandemia, só é permitida a entrada no Parque Estadual do Jalapão com guias especializados, e os passeios devem ser reservadas com antecedência pois há limite diário de visitantes em cada atração.

7. Mergulhar com tubarões em Fernando de Noronha

A gente sabe que não faltam atrações em Fernando de Noronha. São dezenas de praias paradisíacas, baías remotas à espera dos barcos de passeio e mirantes com vistas espetaculares alcançados a partir de trilhas de diferentes dificuldades. 

As praias de Fernando de Noronha têm diversas opções de turismo de aventura!

Mas não há dúvidas de que o principal atrativo é mesmo a biodiversidade desse santuário ecológico. Basta mergulhar em suas águas límpidas para descobrir a vida selvagem, seja através do mergulho de cilindro, modalidade que permite alcançar maiores profundidades, ou do snorkeling, que faz uso apenas de uma máscara, nadadeiras e um tubo para respirar em águas rasas.

Três espécies de tubarão são abundantes em Noronha: o tubarão-lixa ou lambaru (Ginglymostoma cirratum), o tubarão-cabeça-de-cesto (Carcharhinus perezi) e o tubarão-limão (Negaprion brevirostris). Nenhum deles costuma ser uma ameaça para os banhistas, mas é importante sempre contratar uma empresa credenciada e seguir as recomendações de guias locais. 

Conhecer Fernando de Noronha com pouco dinheiro é possível? Nós fizemos as contas, confira 😉

8. Fazer rafting nas Cataratas do Iguaçu

Já imaginou descer em um bote inflável pelas corredeiras do rio Iguaçu? Pois o rafting nas Cataratas do Iguaçu proporciona justamente a oportunidade de ver de perto a grandeza das quedas d’águas dessa que é considerada uma das 7 maravilhas da natureza, além de uma boa dose de adrenalina. 

Turismo de aventura e rafting nas Cataratas do Iguaçu

O percurso tem cerca de quatro quilômetros, sendo o trajeto inicial mais agitado e os dois quilômetros finais de águas calmas, nas quais é possível fazer flutuação. Os corajosos também podem encarar práticas de rapel ou de cachoeirismo, em descidas de 20 metros entre as águas do Salto Macuco.

Veja também nosso Guia sobre Foz do Iguaçu: o que fazer na Terra das Cataratas!

9. Saltar de paraquedas em Boituva

Perfeito para uma escapada de fim de semana de São Paulo, Boituva, a 130 km da capital, é conhecida como a meca do paraquedismo no Brasil.

Saltar de paraquedas em Boituva é puro turismo de aventura!

Sede do Centro Nacional de Paraquedismo, o maior da América Latina, a cidade conta com mais de 20 escolas de paraquedismo, além de uma estrutura completa de hotéis, restaurantes e lojas de equipamentos. 

Claro, outros locais também oferecem condições para saltos de paraquedas, como Araraquara (SP), Rio de Janeiro e Resende (RJ), Ponta Grossa (PR), Serra do Cipó e Juiz de Fora (MG) e Itaparica (BA), mas nenhuma delas dispõe de uma área tão grande e apropriada para a prática quanto Boituva — são cerca de 100 mil quilômetros quadrados. 

10. Escalar montanhas na Serra da Mantiqueira

A Serra da Mantiqueira é uma cadeia montanhosa que se estende por três estados do Brasil: São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Alguns dos pontos mais altos da serra estão no Parque Nacional de Itatiaia, primeira unidade de conservação permanente do país, criada em 1934, que hoje serve como um parque recreativo para montanhistas e amantes de trekkings. 

Turismo de aventura na Serra da Mantiqueira

O seu ponto culminante, o Pico das Agulhas Negras, com 2.790 metros de altitude, é um dos cumes mais almejados. Mas essa subida está longe de ser fácil: há trechos muito íngremes, que exigem o apoio das mãos nos paredões de rocha, embora não seja necessário conhecimentos técnicos de escalada — a famosa escalaminhada. 

Se essa for a sua primeira aventura, melhor escolher outras rotas, como a da Cachoeira do Aiuruoca e da Pedra do Altar. A experiência da montanha é completa: você pode se hospedar no Abrigo Rebouças, o refúgio do parque nacional, ou, se preferir um pouco mais de conforto, buscar acomodações em Itatiaia

E aí, qual aventura você vai encarar quando pudermos viajar?

Ah, e não deixe de consultar as recomendações dos governos locais antes de programar qualquer viagem 😉

Descubra para onde você pode ir!

Quer saber quais países estão abertos para brasileiros? Nosso mapa de restrições interativo é atualizado diariamente, mostrando os destinos fechados no momento e aqueles que estão parcialmente abertos, incluindo as exigências de entrada de cada país.

Assim, você consegue se organizar em relação à quarentena, testes de PCR e outros requisitos comuns em tempos de pandemia.

Leia também: