Noticias Serra Negra SP: o que fazer, ponto turísticos e mais dicas!

Todos os artigos

Serra Negra SP: o que fazer, ponto turísticos e mais dicas!

Serra Negra é ótima para uma semana ou para um feriado prolongado, mas você pode aproveitar mesmo durante um bom final de semana. No inverno ou no verão, planeje o seu passeio com as nossas sugestões para essa cidade localizada no Circuito das Águas.
Mapa

Texto por Isabella Togniolli, da Editora O Viajante

Por muito tempo, Serra Negra, cidade turística próxima a São Paulo (143 km) e Campinas (91 km), atraiu visitantes pelos tricôs ostentados na rua Coronel Pedro Penteado, no centro.

Com o tempo, a atividade se modernizou e as roupas de lã deram lugar a roupas de outros tecidos, diversificando o comércio. O município concentra mais de 250 estabelecimentos que hoje também vendem artigos de couro, madeira, palha, linho, porcelana, produtos de laticínio – tudo resultado de fabricação local.

Entre todas as cidades do Circuito das Águas do estado de São Paulo, Serra Negra se destaca como a mais famosa produtora de malhas, mas esse não é o único atrativo para os visitantes. Muitos turistas buscam um hotel fazenda em Serra Negra para descanso, em uma região com fontes de água mineral e áreas verdes para aventuras.

Foto: Mark Hillary

Quando ir para Serra Negra

Serra Negra permite ao visitante escolher qualquer mês do ano para o passeio, independentemente da época: a alta temporada é em julho, durante as férias escolares, e em dezembro, durante as festas de final de ano.

Nesses períodos, a cidade, de aproximadamente 30 mil habitantes, vê a sua população quase dobrar. Por esse motivo, muitos viajantes preferem finais de semana durante todo o ano, que são mais tranquilos. 

Para aproveitar ao máximo, a melhor opção é seguir para Serra Negra logo na sexta-feira à tarde. Desde Campinas ou São Paulo, o viajante passa por estradas com curvas sinuosas que aos poucos são preenchidas por plantações e paisagens bucólicas.

Hotéis em Serra Negra

Na alta temporada, recomenda-se viajar com reserva antecipada de hotel em Serra Negra, e alguns nomes destacam-se na hotelaria pela história e tradição.

O Grand Resort Serra Negra é ideal para quem deseja unir luxo e conforto ao contato com a natureza, já que está inserido em um parque arborizado de mais de 40 mil metros quadrados.

Já o Vale do Sol Serra Negra, possui uma extensa área de lazer, bom para quem busca atividades e entretenimento durante todo o dia.  A Pousada SantaThereza e o HolidayIn Serra Negra também são bastante procurados.

Há também hotéis e pousadas em Serra Negra, localizadas próximas ao centro que, em sua maioria, oferecem a opção de pensão completa.

Roteiro em Serra Negra: um final de semana na cidade

Dia 1 – Trens, Parque das Fontes e Cristo Redentor

Percorra a rua Coronel Pedro Penteado e tente resistir à oferta de produtos e roupas com preços acessíveis e convidativos. No final da via está a rodoviária, de onde saem os trenzinhos que oferecem, com roteiros diferentes, tours pela cidade.

A Maria Fumaça percorre 8 km em aproximadamente 50 minutos e passa pelos principais pontos turísticos – um passeio bem legal para quem visita a cidade pela primeira vez. O Trenzinho Tia Linda vai até a mini fazendinha (como é chamada) de mesmo nome, e é perfeito para famílias com crianças que desejam ter contato com animais.

Foto: Videograph Serra Negra

Aos que buscam as propriedades especiais e terapêuticas das águas, Serra Negra é o local certo, considerada Estância Hidromineral e Climática. Por isso o apelido de “Cidade da Saúde”. No deixe de visitar o Parque das Fontes, com fontes de água mineral radioativa, lagos e trilhas para caminhadas.

Para a hora do almoço, temos algumas dicas de restaurantes em Serra Negra. Você pode optar por um restaurante de comida mineira (Minas Gerais, afinal, está a apenas 30 km de distância), como o conhecido Panela no Fogo; ou algum tradicional italiano, como o LaTerrazza ou o Sciani Gastronomia Italiana.

Serra Negra ganhou fortes influências da cultura italiana quando as primeiras famílias de imigrantes chegaram em 1880 para trabalhar nas lavouras de café.

À tarde, curta uma vista panorâmica da cidade, visitando o Cristo Redentor, monumento de 18 metros situado no alto do Pico do Fonseca. O acesso ao morros e dá de diferentes maneiras: a pé, para os aventureiros que desejam encarar uma trilha, que devem percorrer em menos de 1 hora; de carro, pela rua Antônio Jorge José; e da maneira mais popular entre os turistas: pelo teleférico, de 1.400 metros, que sai da praça Sesquicentenário.

Foto: Mark Hillary

O passeio dura 15 minutos e é possível fazer um trajeto único, só subindo ou descendo. Na praça, conheça a doceria temática Casa dos Ursos, famosa pelos “ursos que se movimentam” e pelos chocolates artesanais.

Topa um café da tarde ainda? Boa pedida é a doceria Doces Sentidos, e aqui vale se sentar na varanda para apreciar o comércio enquanto saboreia uma de suas refinadas tortas.

Se a sua preferência for por uma cerveja acompanhada de petiscos, experimente a Cervejaria Artesanal Boutique, com seus chopes artesanais e um cardápio com mais de 500 rótulos de cervejas nacionais e importadas.

Dia 2 – Rota Turística do Queijo e do Vinho, Disneylândia dos Robôs e pôr do sol

Aproveite a manhã para visitar algumas propriedades rurais, bem preservadas e arborizadas, para entrar em contato com a natureza e ao mesmo tempo conferir o que há de melhor na vida no campo.

Localizada em uma ramificação da Serra da Mantiqueira, no leste do estado, Serra Negra possui fazendas rústicas que fabricam cachaças, vinhos, doces, mel, queijos e outros produtos.

Foto: Fazenda Vale do Ouro Verde/Divulgação

Agende com antecedência e percorra a Rota Turística do Queijo e do Vinho, que inclui quatro fazendas/sítios principais: Sítio São Pedro, da Família Silotto, onde é possível acompanhar o processo de produção de vinhos e realizar uma degustação; Fazenda Vale do Ouro Verde, que mostra o processo de produção artesanal do café; Sítio Bom Retiro, da Família Carra, que vende vinhos de uva, de laranja e cachaças premiadas; e o Sítio Chapadão, que tem como especialidade queijos e pimentas.

Quem desejar pode visitar, por conta própria, apenas uma delas, de acordo com seu interesse gastronômico – vinho, café, cachaça ou queijo.

Após os petiscos e já preparado para o almoço, siga para o Sítio Pesqueiro Rio das Pedras, próximo às fazendas da Rota Turística do Queijo e do Vinho. O sítio oferece almoço com pratos preparados em fogão à lenha, por 30 reais por pessoa.

Aos sábados, o cardápio é variado e pode oferecer opções como feijão tropeiro,virado a paulista, moqueca de tilápia, massas caseiras e vários outros acompanhamentos; aos domingos, o cardápio principal é o tradicional frango (frito ou ensopado) com polenta (que pode ser frita, cozida, recheada, com ou sem molho).

Foto: Sítio Rio das Pedras/Divulgação

Ainda nesse local, se gostar de pesca, pode pagar uma taxa de 12 reais e realizar a atividade na propriedade, levando o peixe já limpo para casa e pagando, por peso, o que foi pescado.

Se quiser um “almoço” tardio, às 16h, o sítio oferece café da tarde estilo colonial – ou como eles chamam, “café caipira” – com 5 tipos de pães e 5 tipos de bolos, geleias e compotas caseiras, sucos e café, por 18 reais por pessoa.

Foto: Disneylândia dos Robôs/Divulgação

À tarde, descubra a Disneylândia dos Robôs, um inusitado museu, de irreverente decoração, criado por Pedrinho Tomé, ex-mecânico conhecido na cidade pelo nome de “Professor Pardal”.

Mesmo sem conhecimento formal de eletrônica, o “inventor” montou robôs e engenhocas de diferentes tamanhos, formas e temas, que se movimentam e dão espaço a um mundo lúdico e não convencional, mostrando como a sucata pode ser utilizada de forma inteligente.

O espaço atrai as crianças pela interatividade dos brinquedos e os adultos pela engenhosidade das invenções.

Ao final da tarde, antes de ir embora da cidade,aproveite para curtir o pôr do sol do Alto da Serra (1.310 metros de altitude). De lá, é possível contemplar mais de 10 cidades da região. O acesso ao local é feito pela rua 14 de Julho.

Outras atrações em Serra Negra

Quem possui mais dias na cidade pode se aventurar em um voo de parapente no Alto da Serra, em um passeio de jipe militar e conversível (três opções de roteiro e duas horas de duração), ou visitar cachoeiras e realizar atividades como tirolesa, arvorismo e escalada, no Rancho Radical.

O Parque Macaquinhos, a 6 km do centro, também oferece diversas opções de lazer. A entrada é gratuita e os turistas pagam pelas atividades, como passeio a cavalo, pedalinho, caiaque, pesca, tirolesa, paintball e parede de escalada. O espaço conta com restaurante, que oferece almoço e lanches, além de chalés para quem deseja se hospedar.

Foto: Sylvia D´Almeida

Você pode ainda provar vinhos produzidos artesanalmente na Vinícola Casa Di Pietra, distante 4,5 km da cidade. O sítio, localizado no Km 4 da Estrada Hilda B. de Almeida, atende aos finais de semana e conta com uma loja de vinho, cachaça e café.

Serra Negra ainda oferece diversos eventos durante o todo o ano, com muitos shows e espetáculos. Entre os mais famosos estão o Carnaval, o Festival de Inverno e a Festa Italiana.

Além disso, a cidade é destino garantido para os motociclistas, sempre atraídos pelo visual e pelas curvas sinuosas das estradas que levam ao destino. Anualmente ocorre o Serra Negra Motorcycle, encontro dedicados aos apaixonados por motos, com exposição destes veículos de duas rodas.

Encontre suas passagens aéreas promocionais agora mesmo!

Para encontrar os melhores preços para comprar passagens aéreas mais baratas, vá até o site do Skyscanner ou preencha os campos abaixo para encontrar os melhores preços para o seu destino:

Mapa

E se você quiser definir a sua próxima viagem com base nas promoções, faça uma busca para qualquer lugar durante o mês mais barato e descubra qual será o destino da sua próxima viagem barata!

Leia mais:

Pontos Turísticos Serra Negra

Teleférico Serra Negra

Trenzinho Maria Fumaça

App de viagens
Baixe nosso app de viagens gratuito!