O Covid-19 (coronavírus) pode afetar seus planos de viagem. Seja qual for seu destino, veja aqui as últimas recomendações.

Noticias O que fazer se sua reserva de hotel for cancelada

Todos os artigos

O que fazer se sua reserva de hotel for cancelada

O coronavírus alterou os planos de todos os viajantes ao redor mundo. Muitos hotéis fecharam suas portas e cancelaram reservas. Aqui você encontra o que fazer se a sua reserva de hotel foi cancelada devido ao Covid-19.

Todas as áreas do turismo estão se mobilizando para diminuir os impactos do Covid-19 no turismo brasileiro. As agências de viagem estão tentando reagendar as reservas de seus clientes, enquanto as companhias aéreas oferecem reembolsos ou vouchers de voo para datas posteriores.

O Ministério das Relações Exteriores aconselha que se evite viagens a países com transmissão ativa local, apenas em casos de efetiva necessidade. Não não há restrições para viagens nacionais, porém há limitações de acordo com as medidas tomadas por cada Estado. Já o Ministério do Turismo lançou uma cartilha sobre cancelamentos e remarcações de reservas em tempos de Covid-19, além da campanha “Não cancele sua viagem. Remarque”.

São muitas informações e sabemos disso. Por isso, estamos aqui para ajudar você. Já escrevemos sobre direitos dos passageiros e indenizações em caso de voos cancelados ou atrasados e sobre as políticas de alteração e cancelamento de passagens aéreas. Agora vamos mostrar algumas possíveis resoluções caso sua reserva de hotel seja cancelada ou caso você queira efetuar o cancelamento de reserva de hotel devido a restrições de viagem da COVID-19.

Como saber se tenho direito a reembolso?

No dia 8 de abril foi aprovada uma Medida Provisória determinando que, devido à pandemia do novo coronavírus, as empresas não são obrigadas a reembolsar os consumidores pelo cancelamento de pacotes turísticos, reservas em hotéis ou de eventos culturais.

Porém, não será cobrado nenhum custo adicional, taxa ou multa de quem optar por remarcar os serviços, receber créditos para uso em outros serviços ou fazer outro de outro tipo de acordo direto, desde que seja feito em dentro de prazo de 90 dias a partir do dia 8 de abril de 2020.

Segundo a medida, se você optar pelo crédito terá 12 meses para utilizá-lo, contados a partir da data do encerramento do estado de calamidade pública em vigor atualmente. O reembolso apenas acontece se não houver outra possibilidade de acordo.

Política de cancelamento de hotéis

Mesmo em circunstâncias normais, grandes redes de hotéis geralmente permitem cancelar sua reserva ou reagendar sua reserva para uma data futura, geralmente desde que você avise com 24 ou 48 horas de antecedência.

No entanto, a maioria das grandes redes agora oferece políticas de cancelamento estendidas relacionadas ao COVID-19, cujos detalhes podem ser encontrados no site de cada grupo de hotéis.

Por exemplo, o Hilton fez todas as reservas (mesmo as descritas como “não canceláveis”) agendadas para chegada antes de 30 de junho de 2020, que podem ser canceladas gratuitamente até 24 horas antes da chegada. Os grupos Hyatt e Radisson Hotels anunciaram a mesma política para seus hotéis.

A Intercontinental, dona do Holiday Inn, Holiday Inn Express, Kimpton, Candlewood Suites e Crowne Plaza, está isentando taxas de cancelamento para todas as estadias em seus hotéis em todo o mundo que estão programadas para chegar entre 9 de março e 30 de abril.

Hóspedes que reservaram uma tarifa não flexível com a Accor – rede de hotéis da qual os hotéis Ibis fazem parte – para viagens após 31 de Maio de 2020, podem modificar sua reserva para uma estadia futura até o dia 1 de Maio de 2021, sem penalidades, basta entrar em contato diretamente e solicitar o cancelamento de reserva de hotel.

Já na rede Atlântica, viajantes que tiverem tarifa reembolsável, podem cancelar até 24 horas antes do check-in. Quem optou pela reserva sem reembolso deve a entrar em contato com a unidade que fez a reserva – caso não seja definida nova data, será gerada uma carta de crédito no mesmo valor com validade até 31/12/2021.

Aluguel de casas ou apartamentos para temporada tendem a ser menos flexíveis do que as cadeias em termos de políticas de cancelamento escolhidas, mas nessas circunstâncias sem precedentes algumas empresas familiares mostram mais flexibilidade ao permitir que os clientes remarquem para uma data futura.

Como solicitar o reembolso?

Depende se você reservou diretamente ou através de uma agência de viagens online. Todos os agentes de viagens têm suas próprias políticas de cancelamento. Portanto, se você reservou com uma agência e quer fazer o cancelamento de reserva de hotel, precisará contatá-la diretamente para descobrir se tem direito a um reembolso.

Se você usou o Booking.com, verifique se você selecionou acomodações com uma boa política de cancelamento. Algumas reservas podem ser canceladas gratuitamente a qualquer momento, enquanto outras não são totalmente reembolsáveis.

No entanto, a empresa emitiu uma política de cancelamento para os proprietários, afirmando que as taxas de cancelamento de clientes devem ser dispensadas para reservas afetadas pelas restrições da COVID-19 e serão cobertas pela Booking.com.

Da mesma forma, as propriedades do Airbnb têm várias políticas de cancelamento, desde flexíveis – que oferecem cancelamento gratuito até 14 dias antes do check-in – até super rigorosas, onde os hóspedes recebem um reembolso de 50%, desde que cancelem 60 dias antes do check-in. No entanto, a empresa criou uma Política de Causas de Força Maior e o coronavírus (COVID-19).

As reservas feitas em 14 de março de 2020 ou antes, com uma data de check-in entre 14 de março de 2020 e 31 de maio de 2020, podem ser canceladas antes do check-in e os hóspedes poderão escolher entre crédito de viagem ou reembolso total em dinheiro. No entanto, para reservas feitas até 14 de março de 2020 ou com data de check-in após 31 de maio de 2020, aplica-se a política de cancelamento do host.

Esta página foi atualizada em 01 de maio de 2020. Para nosso conhecimento, as informações desta página estavam corretas no momento da publicação. No entanto, dada a natureza da crise do COVID-19, as informações variam de acordo com o local e mudam a curto prazo e com o tempo. Faremos o possível para manter esta página atualizada, mas isso não pode ser garantido.

Esta página foi criada apenas para orientação geral e não foi projetada para você nem para nenhuma circunstância específica relevante para você. É altamente recomendável que você verifique os últimos conselhos de viagem do seu governo antes de viajar ou tomar qualquer decisão de viajar.