O Covid-19 (coronavírus) pode afetar seus planos de viagem. Seja qual for seu destino, veja aqui as últimas recomendações.

Noticias Inspiração Descubra Santarém e Alter do Chão, as pérolas do rio Tapajós

Todos os artigos

Descubra Santarém e Alter do Chão, as pérolas do rio Tapajós

Descubra os encantos da Amazônia a partir de Santarém, a cidade do encontro das águas do rio Tapajós com o rio Amazonas, e conheça Alter do Chão, considerada uma das mais belas praias de água doce do mundo! Para deixar a viagem ainda melhor, não deixe de conferir as ofertas de voos baratos para destinos nacionais em nosso site!

Apesar de ser quase um fetiche para os estrangeiros, a Amazônia é pouco conhecida por viajantes brasileiros. E não necessariamente por falta de interesse: muitas vezes as dimensões continentais do Brasil acabam encarecendo as passagens aéreas, tornando voos para fora do país mais baratos do que para dentro do próprio território brasileiro.

Tudo bem, os valores das passagens são altos, mas não se deixe levar apenas por isso! É possível encontrar passagens aéreas promocionais para Santarém, e os gastos com hotéis e restaurantes, mesmo nas cidades mais turísticas, são muito baixos perto de outros polos turísticos brasileiros – e com certeza mais baratos do que em outros continentes.

Além disso, o Norte do Brasil tem muito a apresentar e a ensinar! A beleza dessa região vai além de construções históricas e belas paisagens: está na diversidade dos rios e da floresta amazônica, no conhecimento ancestral, na singularidade das praias de água doce, nos saborosos pratos típicos e na simplicidade e hospitalidade do povo.

E para apresentar outros bons motivos para você visitar o Norte do Brasil, o Skyscanner foi até Santarém e Alter do Chão acompanhar a passagem da tocha olímpica a convite do Ministério do Turismo e trouxe na bagagem algumas dicas e impressões sobre esses doces cantinhos à beira do Rio Tapajós. Confira!

Melhor época para conhecer

Antes de comprar as passagens é importante saber que Santarém e Alter do Chão mudam completamente suas paisagens no verão e no inverno. Por aqui, os nomes das estações são definidos apenas como épocas de cheia ou de estiagem, não necessariamente vinculadas a solstícios ou equinócios.

Foto: Jade Knorre

O verão é a estação seca, que vai de agosto a dezembro. Nessa época, as águas baixam, evidenciando belíssimas beiras de praia e pontas de areia, banhadas pelas águas azuladas do rio Tapajós.

O inverno é a estação chuvosa, que vai aproximadamente de janeiro a julho. Nessa época, o nível dos rios se altera em até sete metros. Apesar de esconder as praias, o inverno paraense proporciona outros tipos de passeios, como o da Floresta Encantada, onde se pode, a bordo de uma canoa, apreciar os reflexos da floresta no rio – dependendo do nível da cheia, é possível até passear entre as copas das árvores.

Passagens aéreas e transporte

O aeroporto de Santarém é pequeno. De lá chegam e partem voos diários a Brasília, Manaus, Belém, Itaituba, Parintins e Altamira. A maioria dos voos saem e chegam de madrugada em Santarém. As principais empresas que operam esse trecho são LATAM, Gol, Azul e TAP Portugal.

Foto: Jade Knorre

Busque voos para Santarém

Voos de ida e volta podem custar a partir de R$ 321 a partir de Manaus, a até R$ 3.000, dependendo do ponto de partida. A sugestão é fazer uma busca de passagens aéreas para Santarém e descobrir os meses mais baratos para viajar. Além disso, o alerta de preços do Skyscanner facilita sua busca e avisa quando as passagens estiverem mais baratas.

O mês com mais promoções geralmente é outubro, que também é um ótimo mês para se conhecer a região: depois da folia do Çairé e bem no período de seca da região, quando as praias estão mais evidentes.

Para se locomover aqui, é possível fazer trajetos de barco (quanto mais demorado o barco, mais barato, e vice-versa), de ônibus de linha (com tarifas entre R$ 3 e R$ 10) ou também com um carro alugado (carro básico com ar-condicionado tem diárias a partir de R$ 80, em média).

Hospedagem em Santarém e Alter do Chão

Apesar de serem desenvolvidas turisticamente, Santarém e Alter do Chão não contam com uma oferta de hospedagens muito ampla e mesmo os melhores hotéis da região têm tarifas com preços acessíveis.

Foto: Jade Knorre

Busque hotéis em Santarém

Pode-se indicar o Hotel Sandis Mirante, em Santarém, um hotel novo, com acomodações limpas e com ar-condicionado que funciona muito bem. O delicioso e completo café da manhã é servido ao lado de um terraço com bonita vista para o encontro das águas, em frente à orla da cidade. Um apartamento standart duplo custa entre R$ 200 e R$ 242, dependendo da forma de pagamento e da antecedência da reserva.

Em Alter do Chão, a indicação é o Beloalter, considerado um dos melhores da cidade, com piscina, área verde e beira de praia no rio Tapajós. Os quartos são limpos e bem amplos, mas o café da manhã deixa um pouco a desejar. Os valores por quarto duplo superior ficam em torno de R$ 259.

Busque hotéis em Alter do Chão

Passeios em Santarém, Alter do Chão e arredores

Em Santarém há muitos pontos turísticos que merecem atenção. Para começar, nada mais importante para conhecer numa cidade do que o seu Mercado Público, a “alma da cidade”. O Mercadão 2000 é um desses redutos onde a cultura e tradição do Pará estão preservados em bancas de frutas regionais, de farinha de mandioca, de tucupi, de artesanatos e de plantas medicinais.

Foto: Jade Knorre

App Skyscanner

Muito próximo está a Feira do Pescado, que chama a atenção pela grande quantidade de espaços de venda de peixes e pela variedade de espécies comercializadas. Desde camarão seco, pirarucu defumado, filé de arraia, até os tradicionais tambaquis são encontrados por aqui.

Se você sair do Mercadão de frente para o rio, basta seguir à sua direita e caminhar pela avenida Tapajós até alcançar a Igreja Nossa Senhora da Conceição. Para saber mais sobre a história da igreja de Santarém e sobre as missões jesuíticas que aportaram em território amazônico, é interessante fazer um passeio guiado pelo Museu de Arte Sacra, logo ao lado.

Ainda costeando o rio, na mesma direção, você logo encontrará o Terminal Fluvial Turístico, local onde acontecem shows e feiras de artesanato e de onde partem passeios de barco, em especial o River Tour –passeio que consiste em passar, de barco, pelos principais atrativos naturais de Santarém, como o Encontro das Águas, o Lago Maicá e o Igarapé Açu.

Um pouco mais adiante, ao lado da praça Barão de Santarém, está o Centro Cultural João Fona, um prédio em estilo colonial construído em 1867 para receber a Câmara Municipal de Santarém e que acabou sendo usado também como presídio, Fórum de Justiça e sede da prefeitura, até se tornar um centro cultural. O acervo conta com interessantes cerâmicas arqueológicas denominadas tapajônicas, heranças de tribos indígenas que habitavam a região.

Foto: Jade Knorre

No verão, um ótimo passeio é conhecer as praias e igarapés no entorno de Santarém. A cerca de 35 km da cidade, está a praia de Ponta de Pedras. Com águas mornas e transparentes, essa pequena vila de pescadores encanta os viajantes. Os restaurantes são tipo quiosques que servem a culinária típica do Pará. É possível chegar aqui de ônibus, de carro e de barco.

Para se refrescar em uma água um pouco mais gelada, a dica são os igarapés, braços do rio Tapajós que seguem para dentro do continente, passando nos arredores da cidade. Alguns têm mais estrutura, são bem cuidados e têm até restaurantes que administram um espaço à beira do canal. O Igarapé e Restaurante Bom que Dói, a 15 minutos de carro de Santarém, tem estrutura simples, serve bons petiscos e funciona o ano todo. A entrada é gratuita!

Saindo de Santarém pela estrada Everaldo Martins, 3 km antes de chegar em Alter do Chão, é possível conhecer a Floresta Encantada. Esse lugar mágico, localizado dentro da Comunidade de Caranazal, existe apenas entre janeiro e junho, época na qual os rios sobem até sete metros e permitem passeios de canoa por entre a floresta alagada. O ponto de saída das canoas é no Restaurante Caranazal e o passeio de até uma hora custa apenas R$ 30 por canoa, com lugar para até 4 pessoas.

Passagens aéreas baratas

A partir de Santarém é possível chegar até a bela e desejada localidade de Alter do Chão, de barco (transporte mais demorado e menos utilizado), de ônibus de linha que parte de hora em hora e demora cerca de 50 minutos (R$ 3) ou de carro (40 km de estrada de chão).

Alter é um lugar lindo tanto no inverno quanto no verão. No auge da época de seca, surge a famosa Ilha do Amor, que trouxe a Alter do Chão o título de uma das mais belas praias de água doce do Brasil. A ilha funciona quase como uma barreira: de um lado, flui normalmente o rio Tapajós, e, do outro, fica mais evidente o Lago Verde, um belo reservatório de água cor de esmeralda.

Na época de chuvas, é possível ver apenas a cobertura dos quiosques no meio do rio, tamanha é a diferença de volume de água de uma época para a outra!

A vila de Alter do Chão é bem pequena, mas charmosa. A Praça 7 de setembro, de frente para o rio e para a Ilha do Amor, é mais badalada no final da tarde, principalmente em função do Projeto Pôr do Sol, um palco, em frente ao rio, que recebe shows e festas geralmente aos domingos. Nas sextas-feiras à noite, as ruas ao redor da praça são fechadas e acontecem shows de carimbó e apresentações circenses.

Foto: Jade Knorre

De frente para a praça está a Igreja Nossa Senhora da Saúde, e ao redor se encontram diversos restaurantes e lojinhas de artesanato.

A apenas 25 minutos de lancha de Alter, está a Ponta do Cururu. Tranquilidade em forma de praia, nos períodos de seca, a Ponta do Cururu chega a atingir 2 km de extensão. Não há ambulantes nem barracas por aqui, portanto prepare-se para trazer água e um lanche para evitar ter de voltar antes do pôr do sol para o hotel – já que esse espetáculo da natureza está na lista das atrações obrigatórias!

Uma experiência imperdível nessa região é a visita a comunidades da Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns (RESEX), como a Comunidade de Anã e a Comunidade de Urucureá. Ambas fazem parte da Cooperativa de Turismo e Artesanato da Floresta (TURIARTE) e estão localizadas no rio Arapiuns, um braço do rio Tapajós.

A 44 km de Santarém fica Belterra, uma cidade construída pelo empresário norte-americano Henry Ford, na década de 30, para explorar algumas matérias primas brasileiras, principalmente a borracha, para fins de exportação.

Em 1945, a produção entrou em decadência e o projeto foi abandonado; hoje restam algumas casas da época e um museu que conta a história do lugar (visitação gratuita das 8h-14h). Outra cidade amazônica, a 120 km de Santarém, que também fez parte do sonho modernista e exploratório de Henry Ford e pode ser visitada é Fordlândia.

A 50 km de Santarém, um pouco mais adiante de Belterra, fica a Floresta Nacional do Tapajós, carinhosamente chamada por sua sigla, Flona. Importante unidade de conservação da Região Amazônica criada em 1974, essa reserva é administrada pelo ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) e conserva grande diversidade biológica e cultural.

Foto: Jade Knorre

Vinte e cinco comunidades residem dentro da área da Flona, e todas usam de forma sustentável os recursos da floresta. Nas Comunidades de Maguari e Jamaraquá, por exemplo, é possível fazer trilhas pela floresta e conhecer a riqueza da flora e fauna amazônicas, visitar a fábrica de produtos da borracha, comprar artesanatos direto do produtor, além de desfrutar de um café regional ou almoço na comunidade e banhar-se nas águas do Tapajós.

Atenção: para entrar na Flona é preciso ou comprar ingressos ou ter autorização do ICMBio, o que você pode fazer na sede do Instituto em Santarém, ou diretamente na entrada da Floresta Nacional.

Já fora da área de reserva da Flona, aproveite para conhecer a Praia de Aramanaí, em Belterra, na margem direita do rio Tapajós, lugar que abriga uma comunidade ribeirinha tradicional. Não deixe de apreciar seu cenário paradisíaco e de dar um mergulho no rio. A praia possui uma pousada e alguns restaurantes – o restaurante Sereia é uma ótima opção e serve pratos com porções generosas!

Também em Belterra, porém já mais próximo de Alter do Chão, destaca-se a praia do Pindobal, a 8 km de Alter do Chão. Simples, Pindobal é muito procurada por turistas que gostam de sossego e de assistir um belo pôr do sol. Conta com barraquinhas que servem almoço e petiscos.

Gastronomia

A gastronomia e o ingredientes paraenses estão despontando no cenário mundial devido aos sabores e aos componentes exóticos que a culinária dessa região guarda. Grandes chefs de cozinha visitam o Norte do Brasil atrás de novos elementos e texturas para a composição de seus pratos.

Foto: Jade Knorre

A boa notícia é que comer aqui é barato! Independente do restaurante que você for, você vai gastar muito menos do que num restaurante no litoral nordestino, por exemplo, e comerá pratos bem servidos e muito saborosos. Um prato principal com peixe e acompanhamentos para quatro pessoas, custa aproximadamente R$ 60!

Em Santarém, no caminho para o aeroporto, o restaurante Casa do Saulo é uma ótima pedida. O restaurante se espalha por uma encosta, com linda vista para o rio Tapajós. O cardápio, com ingredientes da região, é todo elaborado pelo dono do restaurante, Saulo Jennings.

Também muito conhecido na cidade é o Restaurante Piracema. Está localizado no meio da Santarém e tem um ambiente aconchegante, com decoração ornamentada por objetos típicos da região. Os pratos são deliciosos e misturam os sabores da Amazônia. Maravilhoso!

Outra dica imperdível é a Peixaria Rayana. Essa peixaria que se tornou um restaurante, tem um ambiente simples, pratos muito bem servidos e preços honestos. Vale a pena conferir!

Em Alter do Chão, conheça o bistrô Arco Íris da Amazônia, muito elogiado pelo atendimento e cuidado no preparo dos pratos. Apesar de ter o cardápio enxuto, há opções suficientes de comidas, lanches, sucos e drinques.

A Piracaia é um festejo que remonta as antigas cerimônias da cultura indígena tupaiú e tapajó. O evento consiste em assar um peixe na beira do rio, à luz do luar. A refeição pode ser acompanhada de música e dança, como o tradicional Carimbó, e é possível contratar esse jantar diferenciado por meio de agências de turismo. Uma experiência incrível!

E como em todas as cidades, Santarém e Alter do Chão guardam os segredos culinários e suas delícias gastronômicas não só em restaurantes, mas também nas barraquinhas de rua. Em Santarém, você encontra essas boas opções na praça Barão de Santarém, atrás do Centro Cultural João Fona e, em Alter, na praça 7 de Setembro.

Conhece mais alguma atração ou passeio em Santarém e Alter do Chão? Escreva nos comentários!

*A jornalista viajou e conheceu o destino a convite do MTur.

Newsletter Skyscanner