Noticias Inspiração Para onde viajar sozinha na Europa: dicas de viagem

Todos os artigos

Para onde viajar sozinha na Europa: dicas de viagem

Para as mulheres que querem encarar a estrada por conta própria, aqui estão algumas sugestões de roteiro para viajar sozinha pela Europa!

Mapa

Viajar sozinha é um hábito cada vez mais comum entre as mulheres, que estão descobrindo o prazer de ter um tempo para si, longe de casa e da rotina.

E para te inspirar e fazer viagens independentes se tornarem uma mania ainda maior entre o público feminino, trouxemos hoje 5 ideias com as melhores cidades para viajar sozinha na Europa!

Como é no Velho continente que estão 8 dos 10 melhores países para mulheres que querem viajar sozinhas (o que mostra que o continente em si, de forma geral, é mais seguro), a escolha dos destinos levou em conta ainda detalhes como distâncias, estratégias de deslocamento e diferentes perfis de viajantes, confira!

Qual desses roteiros melhor combina com você para um voo solo?

1) Noruega, Suécia e Finlândia: aventura pelos países de alto IDH

Dentre 188 nações, Noruega, Suécia e Finlândia ocupam, respectivamente, 1º, 14º e 23º posição no ranking de avaliação. Esses países só não recebem mais visitantes porque os custos da viagem são elevados. Euros à parte, o que esses lugares reservam são capitais desenvolvidas e paisagens deslumbrantes!

Sua viagem pode começar pela Noruega, que guarda cenários incríveis de um extremo ao outro do território. No Sul estão as duas maiores cidades: a capital, Oslo, e a portuária Bergen. É ao norte desta última que começam a surgir os fiordes, entradas de mar entre montanhas rochosas; um passeio de barco pelo Geirangerfjord é indispensável.

Quero voos para a Noruega!

E quem se aventura rumo ao Norte de fato, em lugares como Bodø e Tromsø, tem a chance de presenciar o sol da meia-noite e, no inverno, a aurora boreal.

Se apenas uma das capitais dos países escandinavos puder fazer parte do seu roteiro, que seja Estocolmo, na Suécia. Formada por catorze ilhas conectadas por pontes e canais, a charmosa capital sueca é atrativa o suficiente para induzi-la a esticar o roteiro até lá.

Em termos de turismo urbano, a Suécia sai ganhando em relação aos demais países. Se você gosta de desbravar cidades, pode visitar ainda Gotemburgo e Uppsala.

O extremo norte da Península Escandinávia abriga a Lapônia, lar do povo sámi, mas entre nós conhecida mesmo por ser a Terra do Papai Noel. E é na porção pertencente ao território da Finlândia, mais precisamente na cidade de Rovaniemi, que estão as atrações relacionadas ao bom velhinho.

No extremo sul está a capital, Helsinque, cujas influências, ora suecas ora russas, podem ser percebidas numa simples caminhada pelas ruas.

2) Holanda e Bélgica: arquitetura, história e delícias gastronômicas

Holanda e Bélgica, figuras recorrentes nas listas de melhores países para viajar sozinha, formam uma boa dose dupla. Ambas têm algumas características históricas em comum e abrigam pequenas e grandes cidades que seguramente merecem ser visitadas.

Seus territórios, juntos, não chegam a ser do tamanho do estado de Santa Catarina! Quer incentivo melhor para desbravar cada cantinho e conhecer cada atração?

Quero reservar meu voo para Amsterdam!

Amsterdam, capital da Holanda, seguramente está entre os destinos mais desejados da Europa. Seu cenário característico, formado por canais, pontes e bicicletas a torna única.

Somada então à irreverência de decisões políticas como legalização da maconha e da prostituição, aguçam ainda mais interesse. Fora isso tudo, Amsterdam é também lar do Rijksmuseum, um dos mais incríveis museus da Europa!

Bruxelas, capital da Bélgica, também tem seu caráter vanguardista, já que é berço e capital da União Europeia. Sua praça principal, rodeada de prédios de art nouveau, é um prato cheio para os amantes de arquitetura.

Aliás, falando em prato cheio, os belgas se orgulham de suas delícias na cozinha. Não saia da cidade sem experimentar o famoso chocolate belga e a icônica batata frita, servida em cones de papel. Temos certeza de que não será nenhum sacrifício!

Quem não quiser ficar só nas capitais dos dois países, pode descobrir outros destinos no interior de cada um deles. O que não faltam são cidades bonitas no interior da Holanda para visitar, como Roterdã, conhecida pela irreverência arquitetônica, e Delft, pelos ares bucólicos. Não dá para esquecer do incrível Keukenhof, o parque das tulipas, que só pode ser visitado em um curto período do ano.

Já na Bélgica, as paradas obrigatórias envolvem a medieval Bruges, a portuária Antuérpia e a universitária Gent.

3) Itália: destino certo para qualquer viajante

Se existe um país na Europa que pode render uma viagem de 7, 15, 30 ou 60 dias, esse país é a Itália. Para nós essa percepção se intensifica em função do elo histórico – a imigração italiana no Brasil foi tão forte que nos sentimos “em casa” por aquelas terras.

E o melhor: viajar sozinha para Itália traz outras vantagens, além da segurança que é essencial nesse tipo de viagem. Estamos falando da grande diversidade de paisagens e atividades que você pode fazer por lá!

Quero passagens para Roma!

Se todos os caminhos levam a Roma, é por lá que você deve começar: seja para visitar o Coliseu, seja para rezar no Vaticano, seja para um gelato na Piaza di Spagna.

Aos que apreciam cidades cosmopolitas, Milão é uma boa pedida. Já Florença é atrativa para quem se interessa pela arte renascentista, mas também para quem pretende conhecer os vinhedos da Toscana ou se aventurar por cidades próximas, como Pisa e Siena.

E não importa quão turística seja, você precisa visitar Veneza.

Os mais lindos cenários de montanhas e lagos podem ser apreciados na região de Trentino, enquanto as praias se espalham de norte a sul, graças ao formato peninsular da Itália. Cinque Terre e Costa Amalfitana são mais para apreciação, já as praias da região de Puglia e a ilha de Capri, para banho. Quase íamos nos esquecendo das grandes ilhas: Sicília e Sardenha!

Viu só quantas viagens podem existir dentro desse único país?

4) Islândia: paisagens espetaculares na terra do gelo

Quantos países você pode dizer que conheceu por inteiro em uma única viagem? Poucos, seguramente. Por sorte a Islândia, pode ser um deles!

A ilha no norte da Europa não possui grandes cidades – na capital, Reykjavík, são apenas 120 mil habitantes –, mas, em compensação, tem paisagens espetaculares de sobra.

Quero oferta de voos para Islândia!

Uma grande estrada dá a volta completa na ilha: a Ring Road, com 1.332 Km de extensão. Bastam 10-15 dias para você fazer o circuito completo e desbravar a Islândia.

A formação geológica singular é a responsável pela diversidade de cenários. Montanhas, cachoeiras e lagoas são algumas das clássicas atrações naturais, assim como as geleiras, vulcões, gêiseres e termas.

O único inconveniente é que a localização remota se traduz em altíssimos preços. Assim, conhecer a terra do gelo exige planejamento e economia – recompensados em igual medida.

O verão é a estação para visitar a maioria das atrações. Você não pode perder a laguna Jökulsárlón e a enorme geleira aqui vista, o parque nacional Thingvellir de importância natural e geológica, e as estonteantes cachoeiras, a exemplo da Gulfoss e da Seljalandsfoss.

5) Áustria e Suíça: Alpes e paisagens bucólicas

Dois dos países atravessados pelos Alpes podem ser combinados numa mesma viagem: Áustria e Suíça. A cordilheira, que corta o território de ambos, proporciona paisagens de picos nevados perfeitas para serem apreciadas nas charmosas cidades montanhosas e nas diversas estações de esqui.

Vale lembrar que, no meio do caminho entre um país e outro existe uma terceira micronação: Liechtenstein, que é um dos menores países da Europa. Uma viagem com um país de brinde? Só pode ser boa ideia!

Quero voos para Viena!

Em Viena, capital da Áustria, os palácios são as construções que mantém viva a grandiosidade do que um dia foi o Império Austro-Húngaro. Mas basta adentrar o interior do país para que as paisagens bucólicas tomem conta do cenário.

A começar por Salzburgo, terra natal de Mozart e cenário do filme A Noviça Rebelde. Chegando na região de Tirol, é a vez de Innsbruck, porta de entrada para os principais centros de esqui do país.

Se você pretende viajar para Suíça para aproveitar os Alpes, precisa conhecer alguns dos principais vilarejos de montanha, caso de Interlaken e Zermatt.

Se a ideia for visitar as cidades de porte médio, vale estar inteirado sobre a influência dos países fronteiriços: Zurique remete à influência alemã, Genebra, à francesa, e Lugano, à italiana. Qual Suíça você vai escolher para chamar de sua?

Mapa