Noticias Inspiração Tudo sobre a Chapada dos Veadeiros: onde fica, roteiros e dicas

Todos os artigos

Tudo sobre a Chapada dos Veadeiros: onde fica, roteiros e dicas

Descubra quais são as cidades e os passeios mais procurados na Chapada dos Veadeiros e monte o seu roteiro! E para deixar a viagem ainda melhor, confira as ofertas de voos promocionais para destinos nacionais em nosso site!

Encantadora, com belas cachoeiras e muitas trilhas pelo Cerrado, a Chapada dos Veadeiros inspira paz e boas energias. A apenas 230 km de Brasília, localizada no estado de Goiás, a região é um convite para sentir a natureza e aproveitar a vida de maneira simples.

Além de estar localizada no Paralelo 14, o mesmo que passa por Machu Picchu, a Chapada dos Veadeiros está em cima de uma grande e energética placa de cristal de quartzo. É muita energia pra um lugar só, não é? Descubra!

1. Qual a melhor época para conhecer a Chapada dos Veadeiros?

Cada época tem suas peculiaridades e belezas, mas podemos dizer que a melhor época para conhecer quase todas as atrações da Chapada é no período de seca, entre abril e setembro. A partir de outubro já começa o período de chuvas que aumenta o perigo de formação de trombas d’água.

Foto: Jade Knorre

Melhores voos para Brasília!

2. Quantos dias ficar na Chapada dos Veadeiros?

Sempre vai ficar alguma coisa para conhecer na Chapada dos Veadeiros, pois são tantas cachoeiras, mirantes e trilhas, que nem os nativos conhecem todas. Mas pode-se dizer que 7 dias é o tempo suficiente para conhecer os principais pontos turísticos com calma.

3. Como chegar na Chapada dos Veadeiros?

O aeroporto mais próximo da Chapada dos Veadeiros é o Aeroporto Internacional de Brasília. Chegando lá, o ideal é alugar um carro e seguir viagem até Alto Paraíso de Goiás (242 km), São Jorge (257 km) ou Cavalcante (355 km), as três cidades da Chapada mais buscadas pelos viajantes.

Foto: Jade Knorre

Passagens aéreas para Brasília, confira!

Para os mais aventureiros, também é possível ir de ônibus ou de carona até Alto Paraíso ou São Jorge. Viajar de carona de um lado ao outro da Chapada dos Veadeiros pode ser interessante: muitos turistas alugam carros e são solícitos com os parceiros de estrada.

4. Principais cidades da Chapada dos Veadeiros

Alto Paraíso de Goiás

Em Alto Paraíso, o clima é mais de cidade, com ruas asfaltadas ou com calçamento, e com várias opções de acomodações, restaurantes, supermercados e lojinhas de cristais.

Foto: Jade Knorre

Se você está procurando um astral mais zen, conheça a Casa da Gota, centros holísticos ou lugares que fazem massagens terapêuticas, florais e leitura de mapa astral. Não deixe de conhecer as feiras de terças e sábados, famosas por exporem desde alimentos orgânicos até artesanatos.

Vila de São Jorge

Menor e muito simpática – alguns diriam que é a mais aconchegante – é a Vila de São Jorge. Ainda com ruas de terra e clima interiorano, essa pequena cidadezinha encanta com suas casinhas coloridas, banquinhas de artesanato e festinhas de rua.

Foto: Jade Knorre

Aliás, para quem é mais festeiro, essa é a cidade! À noite rolam forrós e shows ao vivo em diversos hostels e campings. Em dias de lua cheia, dizem que as pedrinhas de cristal que estão no chão formam belos caminhos de luz com o reflexo da lua.

Cavalcante

Geralmente incluída nos roteiros apenas como caminho para a bela Cachoeira de Santa Bárbara, Cavalcante é uma cidade que deveria ser mais divulgada pelo turismo da região. É um verdadeiro achado, com boas opções de hotéis, hostels e campings, além de restaurantes, lancheiras e mercados.

 

Foto: Jade Knorre

Com cara de cidade, como Alto Paraíso, mas ainda preservando um estilo mais simples, como São Jorge, Cavalcante é uma cidadezinha autêntica e cercada por espetaculares cachoeiras.

5. O que fazer na Chapada dos Veadeiros?

Os passeios estão espalhados pela região, mas organizamos a lista conforme a proximidade com as três cidades que destacamos acima. Alguns passeios são de meio turno, outros de dia inteiro, então é possível montar um roteirinho bem completo.

 

Foto: Jade Knorre

Organize-se para sempre levar água, comida, protetor solar e repelente para as trilhas e cachoeiras, pois geralmente não há nada por perto e a volta pode não ocorrer no horário programado.

Começamos por Loquinhas, a 4 km do centro de Alto Paraíso. Localizada dentro de uma propriedade particular (R$ 20), Loquinhas tem ótima estrutura de deques que facilita a caminhada entre os sete poços de águas cristalinas azuladas. Considere uma trilha fácil e reserve metade do dia para esse passeio.

Ali por perto, a caminho do Povoado do Moinho, fica a bela Cachoeira Anjos e Arcanjos. Nesse mesmo sentido, a 8 km de Alto Paraíso, está a Cachoeira dos Cristais, que conta com o bar e restaurante Pôr do Sol e sete diferentes quedas d’agua acessadas por trilhas fáceis. A entrada custa R$ 15.

Um pouco mais distante, a 42 km de Alto, está o encantador Santuário Ecológico Cachoeiras e Camping Macaquinhos, passeio de dia todo, com 8 poços e cachoeiras à disposição, interligados por trilhas sinalizadas.

Uma das mais belas cachoeiras da Chapada dos Veadeiros também é uma das de mais difícil acesso: a Catarata dos Couros, que fica a 53 km de Alto Paraíso (37 km de estrada de terra). Por incrível que pareça, a parte mais difícil é a estrada, com desvios e bifurcações que confundem os desavisados.

Foto: Jade Knorre

Alguns indicam fazer esse passeio com guia, mas não há necessidade. As trilhas são de nível médio e você só precisa se concentrar em seguir o rio. Primeiramente você encontra corredeiras, duas pequenas cachoeiras e, mais alguns quilômetros à frente, à sua direita, você já avista os paredões da Catarata dos Couros. É de tirar o fôlego!

Seguindo na estrada para São Jorge, você encontra a Fazenda São Bento, que guarda as cachoeiras de São Bento, Almécegas I e Almécegas II, todas de fácil acesso. Mesmo sendo bem diferentes uma da outra, as três são lindas e proporcionam um banho tranquilo.

Jardim de Maytrea

Foto: Jade Knorre

Garanta seu voo para Brasília!

Bem no meio do caminho entre Alto Paraíso e São Jorge, passando o Morro da Baleia, fica o famoso Jardim de Maytrea, local de contemplação, que dizem ser um portal para outra dimensão. A vista dos montes e dos buritis espalhados no horizonte impressiona principalmente no pôr do sol, quando o astral se completa com o canto das aves do Cerrado.

Mais adiante, ainda nessa mesma estrada está o Vale da Lua, queridinho dos viajantes. Acredite: parece que caiu um pedaço da lua na terra! As formações rochosas arredondadas são impressionantes e realmente nos remetem à superfície lunar. Entre os buracos, passam filetes de água que formam laguinhos e até cachoeiras escondidas.

Foto: Jade Knorre

Chegando em São Jorge, a primeira atração a destacar é, sem dúvida, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, administrado pelo ICMBio. Considerado Patrimônio Natural Mundial da UNESCO, o Parque guarda em seu território fauna e flora diversas, e está aberto para visitação durante o ano todo. A entrada é gratuita!

Não é necessário ir com guia, pois as trilhas são muito bem sinalizadas. São 4 percursos abertos ao público: a Trilha da Siriema é a mais fácil, com apenas 800 metros, indicada para idosos e crianças. A Trilha dos Saltos (I e II), com 11 km, tem nível médio de dificuldade e oferece uma belíssima vista da cachoeira de 120 metros e banho na cachoeira de 80 metros e nas corredeiras.

A Trilha dos Cânions e Carioca, com 12 km, tem nível moderado de dificuldade e conta com banho em todas as paradas. A mais longa e mais difícil, a Trilha das Sete Quedas, com 23,5 km de percurso, exige que o viajante durma no parque e faça a trilha em mais de um dia.

 

Foto: Jade Knorre

Próximo dali fica a Trilha do Abismo e a Trilha do Mirante da Janela, esta última com vista para os saltos de 80 e 120 metros do Parque Nacional. Ambas demoram em torno de 4 horas ida e volta. O pôr do sol visto a partir da entrada das trilhas, na Estrela de Sete Pontas, é maravilhoso.

A partir de São Jorge, aproveite para conhecer também a Cachoeira Raizama, a Morada do Sol, a Cachoeira do Segredo e a Cascata do Cordovil. Essas cachoeiras estão situadas em propriedades privadas, portanto, a entrada pode ser cobrada. Considere conhecer também o Poço Encantado, entre Alto Paraíso e Cavalcante.

Por último e não menos importantes ou menos belas, porém mais distantes, estão as atrações ao redor de Cavalcante. Entre os passeios mais lindos da Chapada, com certeza estão as cachoeiras da Comunidade Kalunga e do Complexo do Prata, ambos tomam um dia inteiro de passeio.

 

Foto: Lawrence João

A mais conhecida, a Cachoeira de Santa Bárbara, encanta com sua água azul piscina. Localizada na Comunidade Quilombola Kalunga, a cachoeira só pode ser conhecida por meio de visitas guiadas, e é bacana dar preferência aos guias da própria comunidade.

O passeio inclui ainda a Santa Barbarazinha e a Cachoeira da Capivara, e é possível agendar almoço na Reserva Quilombola. Tente chegar cedo para garantir lugar entre os primeiros grupos de passeio, assim você pega a luz incidindo direto e potencializando o azul das águas, além de aproveitar a natureza sem tantos turistas à sua volta.

A 67 km de Cavalcante, com boa parte do percurso em estrada de terra, fica o incrível Complexo do Prata, uma sequência de sete cachoeiras e poços de águas límpidas e esverdeadas. Por ser mais distante, poucos se aventuram a chegar até aqui, o que mantém a natureza e a aura selvagem quase intactas.

Cachoeira Rei do Prata

Foto: Jade Knorre

A cereja do bolo é a Rei do Prata: uma cachoeira ladeada por plantas, cujo fluxo d’água cai em um lago verde esmeralda indescritível, que faz você se sentir em uma cena de filme.

Encontre agora voos para Brasília e outras localidades! Os melhores preços você encontra com o Skyscanner:

Mapa

Gostou desse artigo? Você pode curtir também:

3 Chapadas do Brasil que todo aventureiro deve visitar

Descubra as belezas do Jalapão

Quando viajar para os principais destinos nacionais