Noticias Inspiração 72 horas em Porto Alegre: o que fazer na capital gaúcha

Todos os artigos

72 horas em Porto Alegre: o que fazer na capital gaúcha

Porto Alegre pode ser pequena quando comparada a outras metrópoles do país, mas guarda muitas surpresas. Confira o roteiro e descubra o que é imperdível por aqui!

Mapa

Mesmo não sendo muito procurada turisticamente, a capital gaúcha tem o seu charme: uma cidade muito arborizada, com um centro histórico interessante e um rio, que dizem ser o berço do mais belo pôr do sol do Brasil…será?

Descubra o que fazer em Poro Alegre!

Dia 1 – Centro histórico e Usina do Gasômetro

Ao chegar em Porto Alegre, não perca tempo: o ideal é conhecer a cidade a partir do seu marco zero, na praça Montevidéu, no Centro, de preferência a pé. Para isso, considere uma manhã e uma tarde, já que há muito o que ser visto (nos outros dias, com menos correria, você aproveita para relaxar nos parques, quem sabe dividindo um chimarrão com uma boa companhia).

Praticamente todos os ônibus de Porto Alegre param na estação Mercado ou nas proximidades. Comece o passeio pelo Largo Glênio Peres, onde fica o Chalé da Praça XV, charmosa construção datada de 1885 que hoje funciona como restaurante.

 

Foto: Jade Knorre

Hotéis em Porto Alegre

Também no Largo, conheça o Mercado Público de Porto Alegre. Dica: perca-se pelas ruelinhas do Mercado e pelo colorido de suas bancas! Se já for horário do almoço, escolha entre os diversos restaurantes por aqui, como o conhecido Gambrinus – e se quiser tomar um sorvete, não deixe de provar as delícias da Banca 40.

À direita do Mercado, está a Praça Montevidéu, chamada também de Paço Municipal, onde estão o Marco Zero da cidade, a Fonte Talavera de la Reina e a Prefeitura.

Um dos cartões-postais de Porto Alegre, muito usado como cenário para a publicidade, é o viaduto da Borges de Medeiros, facilmente alcançado desde o Mercado Público. Suba a avenida até as escadarias (poucas quadras) e desfrute da bela arquitetura do Viaduto. Do alto da escadaria, dobre à direita em direção à Praça da Matriz.

Na praça, ficam a Catedral Metropolitana, o Theatro São Pedro – xodó da cidade, datado do ano de 1858 –, o Multipalco, a Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, o Palácio da Justiça e o Palácio Piratini, sede do Governo Estadual.

_Foto: Cleber Vallin_

Desça então a rua General Câmara em direção à Praça da Alfândega, conhecida por ser sede da Feira do Livro de Porto Alegre, que acontece geralmente em outubro. Entre os atrativos desta praça estão o Santander Cultural, o Museu dos Direitos Humanos do Mercosul e o Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS). O conjunto de museus chama a atenção por sua arquitetura, além de render uma ótima manhã ou tarde cultural.

Continue pela Rua dos Andradas, também conhecida como Rua da Praia. Por aqui você vai encontrar a recentemente restaurada Casa de Cultura Mário Quintana, antigo hotel da capital que foi lar, por muitos anos, do poeta gaúcho Mário Quintana. Hoje o prédio guarda uma biblioteca, salas de cinema e de teatro e espaços compartilhados para projetos culturais.

A partir daqui já é possível se encaminhar para a beira do rio Guaíba. Ainda na Andradas, passando um pouco a Casa de Cultura, você verá, à sua esquerda, a bela e histórica Igreja Nossa Senhora das Dores, famosa por sua grande escadaria.

Em seguida, é possível avistar a chaminé da Usina do Gasômetro: aproveite para conhecer o espaço, o terraço e esperar o pôr do sol (o mais belo do Brasil, dizem os mais bairristas). Se tiver interesse, alguns barcos fazem passeio pelas ilhas, e é possível curtir o fim de tarde de dentro da embarcação.

_Foto: Paulo Menezes_

Para encerrar esse longo dia de caminhadas, considere tomar uma cerveja no bairro Cidade Baixa, onde a boemia toma conta a partir das 19h. Se a ideia for um happy hour, a Lima e Silva conta com diversos bares; se você for festeiro, a melhor pedida é a rua João Alfredo.

Dia 2 – Parque Marinha do Brasil e Zona Sul

No segundo dia, atividades mais relax: conheça a extensão verde do Parque Marinha do Brasil e curta sua bela localização à beira do Rio Guaíba. Se você estiver com pique, faça o trecho pedalando: alugue uma bicicleta do BikePoa, cuja diária custa R$5 (basta fazer seu cadastro pela internet).

A partir do parque é possível chegar no Estádio Beira Rio, casa do Sport Club Internacional. O estádio, completamente reformado, foi sede da Copa do Mundo de 2014, e conta com um interessante museu do time campeão do mundo em 2006.

Foto: Jade Knorre

Um pouco mais adiante, ainda na avenida Padre Cacique, pare para conhecer o Museu Iberê Camargo, em homenagem ao artista homônimo. Se quiser, aproveite para tomar um café com vista para o rio Guaíba.

A dica para um bom almoço é seguir até a Zona Sul, uma das melhores regiões para comer em Porto Alegre. Considere o Machry Armazém & Bistrô e o café da Floricultura Winge como opções por aqui.

Com um ambiente completamente diferente das outras regiões (como os próprios porto-alegrenses dizem, parece outra cidade), a Zona Sul conta com praias de água doce e ambiente agradável para caminhadas ou apenas para descansar depois do almoço. A Praia de Ipanema é a mais conhecida.

Foto: Felipe Valduga

Se você quiser ficar para um happy hour, invista nos bares e restaurantes com um ambiente diferenciado, mais próximos ao rio Guaíba.

Dia 3 – Bairros Bom Fim, Independência e Moinhos de Vento

Para começar bem o terceiro dia, passeie pelo Parque Farroupilha, mais conhecido como Parque da Redenção. Se você vier num sábado, aproveite a feira de alimentos orgânicos na rua José Bonifácio; já no domingo, não há programação mais porto-alegrense do que passar a manhã na feira do Brique da Redenção.

Conheça o Monumento ao Expedicionário – um arco em homenagem aos “Pracinhas” da F.E.B., soldados brasileiros que serviram na Segunda Guerra Mundial –, o Espelho D’agua e o chafariz. Aproveite para apreciar o parque degustando uma deliciosa pipoca doce.

Foto: Paula Cristina

Por essa região, há desde restaurantes vegetarianos a buffets bem variados. Não deixe de conhecer a Lancheria do Parque. Mesmo que não queira almoçar na “Lanchera”, ao menos peça um suco feito na hora e descubra um dos lugares mais queridos e tradicionais de Porto Alegre (sim, vai parecer que o garçom não lhe ouviu, mas seu pedido vai chegar certinho e mais rápido do que você imagina).

Seguindo o passeio, suba do bairro Bom Fim em direção ao bairro Moinhos de Vento, para conhecer mais um parque da cidade: o Parcão. Por aqui, destaque para o antigo moinho e para os laguinhos, repletos de tartarugas.

Foto: Jade Knorre

Alugue um carro e suba para a Serra Gaúcha!

Você pode esticar o passeio até a avenida Padre Chagas, onde há bons bares, ainda que com preços mais elevados, para curtir o final de tarde.

Outra possibilidade é fazer as malas e já seguir rumo ao aeroporto pela BR-290. No caminho, você pode conhecer o outro grande estádio de Porto Alegre: a Arena do Grêmio. Imponente, com uma moderníssima arquitetura, o estádio conta também com um museu em homenagem ao time campeão do mundo em 1983.

Seguindo para o aeroporto, é possível avistar o emblemático monumento do Laçador que, inspirado no tradicionalista Paixão Côrtes, busca representar a figura do gaúcho. Se quiser uma lembrança, há espaço para estacionar e tirar fotos.

Veja mais roteiros de 72h e inspire-se!

72h em Florianópolis

72h em Curitiba

72h em Buenos Aires

Busque agora mesmo as passagens aéreas mais baratas para qualquer destino!

Mapa