O Covid-19 (coronavírus) pode afetar seus planos de viagem. Seja qual for seu destino, veja aqui as últimas recomendações.

Noticias O que você precisa saber sobre os acordos entre linhas aéreas: interline, codeshare, joint-venture e alliance

Todos os artigos

O que você precisa saber sobre os acordos entre linhas aéreas: interline, codeshare, joint-venture e alliance

Sabemos que viajar é especialmente difícil neste momento de pandemia. Mas, juntamente com os mais recentes conselhos e atualizações de viagens do COVID-19, queremos continuar a inspirar você com diferentes conteúdos de viagens para que, quando o mundo abrir suas portas novamente, você esteja pronto!

Despercebidos pela maioria dos passageiros, os principais acordos entre linhas aéreas não apenas existem, como também nos levam mais longe. Entenda como funcionam as parcerias interline, codeshare, joint-venture e alliance e avance um degrau nos seus conhecimentos sobre a aviação 🙂

Por que as linhas aéreas fazem acordos?

O principal motivo é ampliar a malha aérea, sem ter que necessariamente operar todos os voos até o destino final, possibilitando que os clientes tenham mais destinos à disposição. A partir das parcerias, as empresas também conseguem oferecer maior comodidade e praticidade aos passageiros como:

  • encontrar voos para destinos distantes em uma mesma busca aqui no Skyscanner;
  • fazer check-in e despachar bagagem apenas uma vez, mesmo com voos operados por diferentes linhas aéreas;
  • pagar, em uma mesma passagem, todas as tarifas de embarque.

E apesar do mesmo objetivo, cada acordo tem a sua própria lógica – e, na prática, para os passageiros, as diferenças são sutis. Abaixo, explicamos o essencial do que você precisa para entender como funcionam essas parcerias e de que forma elas interferem na sua viagem. Confira!

Acordo Interline: o que significa?

O mais básico dos acordos entre linhas aéreas, um contrato interline permite a emissão e venda de bilhetes com voos operados por diferentes companhias ao longo do trajeto.

Passageiro aguardando do lado fora do aeroporto com sua bagagem

Na prática, você compra a passagem com uma empresa, mas voará com ela e outra ou mais companhias para chegar até o destino final. Nesse caso, você paga um preço por todos os voos da rota e a divisão da receita é feita internamente pelas empresas.

Por ser o mais simples dos acordos entre linhas aéreas, é também o mais comum. Só a GOL tem acordo interline com mais outras 70 companhias. Isso significa que você consegue comprar voos no próprio site da GOL para destinos operados por outras empresas, e possivelmente apenas o seu primeiro voo será realizado com a linha aérea brasileira.

Check-in e bagagem em voos interline

Hoje, boa parte de voos que funcionam dentro de um acordo interline exige check-in apenas no primeiro embarque, assim como a bagagem é despachada uma vez e retirada apenas no destino final.

São raras as exceções em que mais de um check-in é requerido. Geralmente, a informação vem especificada na compra da passagem. Na dúvida, contate a companhia responsável pela emissão do bilhete para confirmar quantas vezes o check-in deverá ser realizado.

Atenção: em voos interline, as regras de bagagem costumam ser aplicadas de acordo com a operadora mais importante da rota. A empresa responsável pelo primeiro trecho internacional ou pelo trecho mais longo geralmente é a mais importante. Sempre confirme essas informações antes de viajar para evitar surpresas na hora do embarque.

Acordo Codeshare: o que significa?

Por meio de um acordo codeshare, diferentes linhas aéreas trabalham em conjunto e podem comercializar voos operados pelas companhias parceiras. Mas qual a diferença entre codeshare e interline? No codeshare, é como se houvesse um compartilhamento da aeronave: cada linha aérea tem direito a vender X lugares no voo e ainda codificar os bilhetes de acordo com a sua sigla.

Asa de avião com azul do céu e nuvens ao fundo

Um exemplo recente é a parceria firmada entre LATAM e Azul. Na fase inicial, o acordo codeshare entre as duas empresas no Brasil ofertou 50 novas possibilidades de rotas domésticas. Agora você pode comprar as passagens para essas rotas tanto com a Azul quanto com a LATAM, e deve seguir os procedimentos dependendo do fluxo do seu voo.

Isto é, ao comprar o voo com a Azul, caso o primeiro trecho seja operado pela própria Azul, você seguirá os procedimentos de embarque estipulado pela companhia. Agora, se o voo foi comprado com a Azul, mas o primeiro trecho for operado por uma aeronave LATAM, valem os procedimentos de embarque da LATAM.

E esse foi apenas um exemplo recente. O codeshare é um acordo cada vez mais comum entre as companhias aéreas. A GOL, por exemplo, tem esse tipo de parceria com 14 empresas internacionais – Aerolineas Argentinas, Aeromexico e TAP Air Portugal são algumas das parceiras.

Check-in e bagagem em voos codeshare

O check-in deve ser feito com a companhia responsável por operar o voo. No que diz respeito à bagagem, de acordo com o guia da IATA, em voos de acordo codeshare, geralmente são aplicadas as regras da companhia que vendeu a passagem, a menos que a companhia determine que as regras da companhia responsável pelo voo devem ser aplicadas.

No caso da parceria entre a Azul e a LATAM, como foi explicado acima, se você comprar o voo pela LATAM, mas o voo for operado pela Azul, valem as determinações da Azul, e vice-versa.

A bagagem é despachada no primeiro embarque, no balcão da companhia com a qual o voo será realizado, e retirada apenas no destino final. Os valores por serviços como compra de mala e marcação de poltrona também são definidos pela empresa que vai operar o voo.

Nesse caso, basta usar o código gerado pela companhia que emitiu o bilhete nos canais de atendimento da companhia que realizará o voo para solicitar serviços adicionais. E fique tranquilo – todas essas especificidades são esclarecidas na hora da compra do bilhete.

Acordo Joint-venture: o que significa?

Um dos mais estreitos acordos entre linhas aéreas, o joint-venture é uma parceria que envolve aprovação governamental e geralmente acontece com companhias de diferentes continentes.

Acordos entre companhias aéreas facilitam viagens internacionais

Quando parte de um contrato joint-venture, as companhias parceiras passam a ser uma grande empresa, com autonomia para definir tarifas, organizar horários e compartilhar receitas.

Para os viajantes, a vantagem é a opção de poder voar mais longe, conseguindo voos operados por diferentes linhas aéreas, sem ter que comprar voos separados para chegar a outro continente.

A parceria joint-venture entre Azul e TAP Portugal, por exemplo, oferece aos brasileiros uma maior conectividade com a Europa, enquanto o acordo entre LATAM e a Delta amplia a conexão entre América do Sul e América do Norte.

Check-in e bagagem em voos joint-venture

Aqui, valem as mesmas orientações para voos codeshare: as regras de check-in, bagagem e serviços adicionais são aplicados de acordo com a companhia responsável por operar o voo.

Leia também: Como planejar uma viagem para múltiplos destinos em tempos de coronavírus

Alliance: o que é

É o maior dos acordos entre linhas aéreas. Trata-se de uma parceria realizada com o intuito de ampliar o alcance e a base de clientes das empresas parceiras, que podem criar voos de acordo interline ou codeshare com mais facilidade, pois já fazem parte de um mesmo grande grupo.

Avião estacionado no pátio

No entanto, a principal característica desse tipo de contrato é que as companhias pagam taxas à aliança à qual pertencem e concordam em oferecer benefícios aos passageiros em uma base recíproca. Esses benefícios incluem embarque prioritário e acesso a salas de espera VIP.

São três as principais alianças aéreas:

  • Star Alliance: formada por 26 linhas aéreas, incluindo Air Canada, United e Lufthansa;
  • Oneworld: reúne 13 companhias, dentre as quais se destacam a American Airlines e a British Airlines. A LATAM é a única sul-americana do grupo;
  • SkyTeam: 19 empresas fazem parte dessa aliança. Alitalia, Aerolineas Argentinas e KLM são alguns dos nomes que pertencem a SkyTeam.

Além delas, existem outras três alianças menores: Vanilla Alliance, U-FLY Alliance e Value Alliance.

Acordos entre linhas aéreas permitem o compartilhamento de sala de espera vip de empresas parceiras

Principais dúvidas sobre acordos entre linhas aéreas

Vou voar com diferentes linhas aéreas. Quais regras de bagagem valem?

Depende do tipo de voo e do acordo entre as linhas aéreas. Num voo codeshare, por exemplo, geralmente valem as regras da empresa que vendeu o voo, mas na parceria LATAM e Azul, são válidas as regras da companhia que vai realizar o voo. Já em voos de acordo interline, normalmente valem as regras da companhia mais importante da rota, mas podem haver variações também. Mas não se preocupe: basta ficar atento na hora de reservar o bilhete, pois essas informações estarão claras e explicadas no momento da compra. Se precisar de mais informações, sempre confira com a empresa responsável pelo voo.

Como saber qual é a companhia mais importante da rota?

Geralmente, é a que opera o trecho mais longo da viagem. A IATA, porém, tem um esquema para definir a companhia mais importante, saiba mais no link em inglês.

Como saber se meu voo é codeshare?

A maneira mais simples é conferir essa informação na emissão do bilhete, que sempre informa quando o voo será operado por uma linha aérea diferente da que está vendendo a passagem.

Agora que você já sabe o básico dos acordos entre linhas aéreas, não se esqueça de conferir as orientações do governo local sempre que for reservar uma viagem internacional.

Descubra para onde você pode viajar com segurança

Antes de fazer as malas e embarcar para a sua primeira viagem pós-quarentena, confira no nosso mapa virtual quais países estão abertos para o turismo e cadastre-se receber notificações quando seus destinos ou países favoritos reabrirem.

Sempre siga as medidas de saúde e segurança em vigor. Continue usando máscaras para viajar e lave as mãos com frequência para a higienização e segurança.

Quer saber mais? Leia também: