Noticias 13 coisas para fazer de graça em Londres

Todos os artigos

13 coisas para fazer de graça em Londres

Não se deixe abalar pela fama (e pelo fato) que Londres tem de ser uma cidade cara. Existem maneiras de desbravar a capital inglesa sem ter que gastar nada com isso. A dica é percorrer os roteiros "lado B" que vamos sugerir hoje. Dá uma olhada!

Mapa

1. Visitar seus parques

Londres tem diversos parques, jardins e espaços verdes que podem ser visitados ao longo do dia, sem precisar comprar um ingresso ou fazer reservas. Tanto próximo às rotas turísticas quanto em regiões mais afastadas, as áreas verdes da capital inglesa são excelentes para uma pausa no meio do dia ou para conhecer melhor a rotina dos londrinos.

 

Algumas sugestões:

– Regent’s Park;
– St. James Park;
– Victoria Park;
– London Fields;
– Greenwich Park;
– Hyde Park/Kensington Gardens.

Para se organizar, acesse o site Royal Parks (em inglês) e veja uma lista de parques podem ser visitados em Londres.

2. Visitar museus e galerias

Andar pelas ruas de Londres é uma ótima oportunidade para enriquecer sua bagagem cultural, seja com aulas de arte, seja com aulas de história. E para felicidade dos viajantes, muitos de seus museus podem ser visitados de forma inteiramente gratuita, o que anima ainda mais os apaixonados por este tipo de passeio.

Nesse sentido, vale a pena visitar:

– British Museum;
– National Gallery;
– Tate Britain;
– Museum of Childhood;
– Museum of London.

E estas são apenas algumas das opções. No site Visit London (em inglês), você encontra uma relação de museus e confere ainda informações como endereços, exposições e horários. Vale lembrar que, mesmo gratuitos, alguns destes espaços exigem reserva com antecedência. Não deixe de conferir essa informação antes de montar o seu roteiro.

3. Circular pela Oxford Street

Oxford Street é a rua das compras em Londres. Centenas de lojas e galerias se estendem ao longo desta via quilométrica, mas, caso consiga resistir às vitrines, você pode visitá-la sem gastar nada. Vale a pena sentar para um café, depois de sentir o ritmo acelerado que toma conta dos londrinos que passam pela rua mais movimentada da cidade – ali, estão endereçadas mais de 300 lojas, número que lhe confere o título.

4. Circular pela Piccadily Circus

Em pouco mais de dez minutos de caminhada, saindo de Oxford Street, você alcança a Piccadily Circus, que é o cruzamento mais movimentado de Londres, assim como é uma das principais áreas turísticas da cidade.

A praça, com um monumento muito fotografado (a famosa estátua de Eros), marca o encontro das ruas Regent’s Street, Shaftesbury Avenue, Piccadilly e Haymarket. É parada obrigatória para quem ama lugares badalados e quer viver, mesmo que por alguns instantes, o agito frenético típico de grandes centros urbanos.

5. Atravessar suas pontes

Muitas das pontes de Londres são verdadeiras atrações turísticas. É o caso da Tower Bridge e da Millennium Bridge. A primeira é um monumento histórico da cidade e abriga um museu em suas torres, enquanto a segunda foi inaugurada nos primeiros anos da década de 2000 em comemoração ao início do segundo milênio e serve como ponto de ligação entre St. Paul Cathedral e o Tate Modern.

6. Se perder em Little Venice

O nome desta parte sul do bairro residencial Maida Vale já dá uma ideia do que pode ser encontrado na região. Little Venice foi o termo escolhido para nomear o encontro entre o Regent’s Canal e o Grand Union Canal, embora a paisagem lembre o centro de Amsterdã, com seus canais, barcos que servem de morada para restaurantes e lojas, e bicicletas que circulam livremente às margens dos canais.

É um ótimo lugar para fugir da movimentação turística de Londres, perfeito também para tirar boas fotografias, relaxar e tomar um café ou um chá – para reforçar os hábitos ingleses.

7. Visitar locações cinematográficas famosas

O charme histórico de Londres e sua beleza natural inspiraram produções cinematográficas que ganharam o público, no Brasil e no mundo. Visitar as principais locações da cidade, portanto, é uma atividade muito comum entre os viajantes, especialmente entre os cinéfilos de plantão.

Os fãs de Harry Potter, por exemplo, devem pousar para uma foto na Plataforma 9 ¾, que fica na estação Kings Cross. Outros lugares imperdíveis para quem curte cinema é o bairro Notting Hill, para relembrar as cenas de “Um Lugar Chamado Notting Hill”; e o Watts’s Memorial, locado para uma cena do filme “Closer”, e que vale a pena a visita, não apenas pela locação, mas principalmente pela intenção do espaço: homenagear pessoas que morreram tentando salvar a vida de outras pessoas.

8. Admirar suas igrejas

Seja pelo valor religioso, seja pela beleza de suas formas arquitetônicas, as igrejas de Londres podem ser definidas como cartões postais imperdíveis. Para visitar o interior de algumas delas, é preciso pagar por um ingresso (exceto durante cerimônias e missas), mas não é o caso das que aparecem na lista abaixo:

– Catedral de Westminster;
– St. John’s Church, que fica em Notting Hill;
– Notre Dame de France;
– St. Etheldreda;
– St. Magnus the Martyr;
– St. Marylebone.

9. Acompanhar a troca de guardas

Um dos eventos reais mais admirados pelo público, a famosa troca de guardas pode ser observada de graça. Dois lugares são indicados para quem quer conferir essa tarefa que faz parte do cotidiano da nobreza inglesa: o Castelo de Windsor e o Palácio de Buckingham. A cerimônia, com quase uma hora de duração, acontece apenas em dias ensolarados e nos meses que vão de abril a setembro.

10. Admirar o grafite dos artistas ingleses

Londres é uma verdadeira galeria de arte, com capacidade de lançar tendências no mundo das artes e da moda. Entre as expressões de arte moderna, o grafite ocupa um lugar de destaque no universo londrino. Esta arte pode ser vista, por exemplo, nas ruas das descoladas regiões de Brick Lane, Camden Town e no impressionante Leake Street Tunnel, em Waterloo.

Dentre os artistas, o mais icônico é Banksy, que fez fama não só em função de seu trabalho mas também pela sua misteriosa invisibilidade, o fato de que ninguém jamais conseguiu identificá-lo através de imagens, em fotos ou vídeos. Foi de Banksy a ideia de transformar o Leake Street Tunnel, num espaço dedicado ao grafite.

11. Ver Londres do alto

Para admirar Londres de um ângulo privilegiado, dentre os espaços mais buscados pelos visitantes se destacam a London Eye e o The Monument (na estação Monument), ambos pagos. Você pode, porém, admirar a beleza da capital inglesa a partir de outros mirantes, que são inteiramente gratuitos.

O Observatório de Greenwich é um bom exemplo. Ali, os visitantes costumam adquirir um ingresso para conhecer o Meridiano, a atração principal do parque, mas para subir ao topo da colina não precisa pagar nada. Dali, é possível ver o National Maritime Museum, Queen’s House e o Canary Wharf – como você pode observar na foto.

12. Walking Tours

As excursões feitas a pé estão ganhando cada vez mais adeptos nas grandes cidades e Londres não ficou de fora desta tendência. Na capital inglesa, são oferecidos vários “walking tours”, tanto pagos quanto gratuitos. Para quem quer uma opção de graça, o Queen’s Walk (site em inglês) é a melhor opção.

Em duas horas de caminhada, você vai visitar algumas das atrações turísticas mais importantes da Terra da Rainha e em companhia de outros visitantes. Alguns dos lugares visitados são: National Thatre, Millennium Bridge e St. Paul’s Cathedral. Vale lembrar que os guias se comunicam apenas em inglês e que o passeio não prevê paradas para visitar o interior dos atrativos que fazem parte da rota.

13. Conhecer a essência artística de Londres

Tenha uma overdose artística em Londres e não pague nada por isso. A dica é visitar suas galerias mais renomadas que, para a alegria dos apaixonados por arte, não cobram nada para serem desbravadas.

Regiões como East London (foto), Complexo Barbican e Vyner Street servem de endereço para espaços onde são revelados os mais novos talentos da Inglaterra e são imperdíveis para quem quer conferir exposições e amostras que exibem o que há de mais inovador no mundo das artes plásticas, visuais e do design. O seu roteiro deve priorizar lugares como:

– Whitechapel Gallery;
– Carpenters Workshop Gallery;
– Saatchi Gallery;
– The Curve Gallery;
– William Morris Gallery.

Busque agora mesmo as passagens aéreas mais baratas para Londres ou para qualquer outro destino!

Mapa

Quer viajar para Londres nas suas próximas férias, mas está preocupado com os valores das passagens aéreas? Crie um alerta de preços adquira o voo quando chegar a melhor oferta!

App de viagens