Noticias 10 coisas para fazer de graça em São Paulo

Todos os artigos

10 coisas para fazer de graça em São Paulo

Conheça dez lugares que têm entrada gratuita para o público e enriqueça a sua bagagem cultural de um jeito único ao visitar São Paulo!

Mapa
Baixe nosso aplicativo de viagem, é gratuito!

1. Memorial da América Latina

As exposições do Memorial da América Latina convidam o visitante a conhecer diferentes obras de arte, nos mais variados formatos. Desenvolvido pelo antropólogo Darcy Ribeiro, tem a missão de estreitar as relações culturais, políticas, econômicas e sociais do Brasil entre todos os países latino-americanos.

Para isso, incentiva pesquisas e divulga seus resultados, além de apoiar a expressão da identidade latino-americana e de estimular o desenvolvimento criativo. Os espaços culturais se dividem entre salão, biblioteca, auditório e galerias, onde são realizadas mostras todos os dias. A programação se renova a cada dia, trazendo ainda apresentações de música, dança e teatro.

2. Theatro Municipal

Vale a pena o passeio nem que seja apenas para admirar a arquitetura. O prédio, que teve suas formas e estilos inspirados na Ópera de Paris, é majestoso do lado de fora e impressionante do lado de dentro, com sua decoração refinada, que ostenta glamour e classe.

Foto The Photographer

É possível participar de tours guiados, durante os quais toda a história da principal casa de teatro de São Paulo é contada em detalhes. Aqueles que tiverem oportunidade não podem perder a chance de conferir o espetáculo em cartaz durante sua visita a São Paulo – nesses casos, será necessário pagar pelo bilhete, mas o investimento com certeza valerá a pena.

3. Centro Cultural do Banco do Brasil

Também instalado em um charmoso prédio histórico, o Centro Cultural do Banco do Brasil é o terceiro museu/centro cultural mais visitado no país e o 65º no mundo, de acordo com o ranking da publicação inglesa The Art Newspaper, de abril de 2013.

A fama continua a mesma, graças à programação variada, montada carinhosamente pensando nos apaixonados por arte e cultura. O espaço conta com teatro e cinema, onde acontecem apresentações pagas e gratuitas, com bastante frequência. Para conferir as exposições, não é preciso pagar nada.

4. Mercado Municipal

Um passeio entre cheiros, cores e sabores. O Mercado Municipal é parada obrigatória para os viajantes que não hesitam em unir um bom roteiro de compras a um tour gastronômico. Isso porque o charmoso prédio, inaugurado no ano de 1933, permite deliciosas caminhadas entre os mais de 200 boxes, que propositalmente aguçam os sentidos dos visitantes.

Foto Felix Tansil

Ao longo do caminho, será possível encontrar verduras, legumes, frutas, carnes, aves, peixes, frutos do mar, massas, doces, especiarias e produtos importados de primeira linha, incluindo diferentes rótulos de vinho. Durante a mesma visita, nada como uma pausa para saborear uma das delícias ali vendidas e então recuperar as energias para seguir com a programação turística do dia. E lembre-se: para entrar e sentir a essência do lugar, não é preciso pagar nada!

5. Centro Cultural de SP

Inaugurado em 1982, o Centro Cultural de São Paulo tem o título de mais importante da cidade. O projeto arquitetônico foi assinado por Eurico Prado Lopes e Luiz Telles e é considerado um dos mais significativos até hoje executados na capital paulista.

A ideia dos arquitetos foi facilitar a fluidez entre os espaços amplos, incluindo diversos acessos para ligar todas as repartições. O complexo abriga Pinacoteca Municipal, a discoteca Oneyda Alvarenga, a coleção da Missão de Pesquisas Folclóricas de Mário de Andrade, um conjunto de bibliotecas, espaços expositivos, além de promover cursos diversos e apresentações artísticas.

6. Museu de Arte Contemporânea

O MAC USP, como também é conhecido o Museu de Arte Contemporânea de São Paulo, está Instalado em um complexo arquitetônico criado nos anos 1950 pelo arquiteto Oscar Niemeyer. Seu um acervo é formado por cerca de 10 mil obras, entre pinturas, gravuras, tridimensionais, fotografias, arte conceitual, objetos e instalações.

Foto RPFigueiredo

É tido como um centro de referência de arte moderna e contemporânea, tanto brasileira quanto internacional, mantendo ainda uma biblioteca e um importante arquivo documental, sempre à disposição dos estudantes de São Paulo.

7. Museu Lasar Segall

Lasar Segall foi um pintor, escultor e gravurista judeu que nasceu na Lituânia e que veio para o Brasil na década de 1920, sendo um dos artistas mais atuantes no movimento modernista. Todo o seu legado pode ser admirado no museu montado pela família, sem fins lucrativos.

Mais de 3 mil trabalhos originais do artista dão forma ao acervo, que fascina os visitantes apaixonados por artes visuais. Além de ser um espaço museológico, o museu é um centro de atividades culturais, onde acontecem visitas monitoradas, cursos nas mais diversas áreas e projeção de cinema, abrigando ainda uma ampla biblioteca especializada em artes do espetáculo e fotografia.

8. Museu Afro Brasil

Dentro do Parque do Ibirapuera, o Museu Afro Brasil é mais um atrativo que pode ser visitado por quem está passeando entre o verde deste que é um dos principais parques de São Paulo.

Foto Sailko

Instalado em um prédio com 11 mil m², tem um acervo com mais de 6 mil obras, entre pinturas, esculturas, gravuras, fotografias, documentos e peças etnológicas, de autores brasileiros e estrangeiros, produzidos entre o século 18 e os dias de hoje. A ideia é evidenciar diferentes aspectos dos universos culturais africanos e afro-brasileiros, abordando temas como religião, trabalho, arte, escravidão e outras temáticas, a partir da trajetória histórica e das influências africanas na construção da sociedade brasileira.

9. Museu da Imagem e do Som

Às terças-feiras, o acesso às exposições é inteiramente gratuito no MIS, o Museu de Imagem e do Som, que trabalha com uma programação variada, para agradar o público que não perde a chance de conhecer um espaço cultural.

Seu acervo é formado por mais de 200 mil itens, exibindo fotografias, filmes, vídeos, cartazes, peças gráficas, equipamentos de imagem e som e registros sonoros, além dos livros, catálogos, periódicos, CDs, DVDs e VHS que formam o acervo biblioteconômico. Para complementar a agenda, o Museu promove oficinas, cursos, apresentações e performances.

10. Instituto Tomie Ohtake

O prédio moderno que abriga o Instituto Tomie Ohtake é uma atração por si só na cidade de São Paulo. Apesar de ser necessário adquirir um ingresso para admirar as exposições em cartaz, o espaço garante acesso livre a outras áreas, proporcionando momentos capazes de enriquecer a bagagem cultural do visitante.

Foto Monica Kaneko

O instituto está instalado em um complexo empresarial privado, que reflete uma concepção contemporânea de cidade, onde cultura, trabalho e lazer estão integrados.

Leia também:

Sugestões de passeios para um final de semana saindo de São Paulo

12 lugares para quem quer paz e sossego em São Paulo

O que fazer em um final de semana em São Paulo

Pensando em outros destinos? Procure suas passagens aéreas agora mesmo!

Mapa